PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Nelson Tanure aumenta participação acionária na Alliar

Empresário passa a deter 27,31% do capital da empresa de diagnósticos médicos, cobiçada por Rede D’Or e Fleury

Alliar, empresa de diagnósticos médicos, foi notificada sobre aumento de participação acionária pelo empresário Nelson Tanure
20 de Outubro, 2021 | 09:37 am
Tempo de leitura: 2 minutos

São Paulo — O empresário Nelson Tanure, conhecido por investir em empresas de mídia (Jornal do Brasil e Gazeta Mercantil) e infraestrutura (como Oi, PetroRio, Comex, Companhia Docas de Santos), aumentou sua participação acionária na empresa de diagnósticos médicos Alliar. Ele passou a deter 27,31% do capital da companhia, após sua gestora de recursos, a MAM Asset Management, adquirir 25.012.323 ações ordinárias de dois fundos da gestora de private equity Pátria.

A Alliar informou, nesta quarta-feira (20), que recebeu, ontem (19), notificações de dois fundos da Pátria sobre a conclusão da operação. Com o fechamento da venda, Tanure, por meio da Fonte de Saúde Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia, passou a deter uma participação total de 32.302.023 ações da Alliar.

PUBLICIDADE

Em agosto, o empresário entrou na estrutura societária da companhia, após adquirir 21,14% das ações por meio do fundo de investimento Fonte de Saúde, que comprou essa fatia da Pátria.

A investida de Tanure levou o bloco de controle da Alliar, liderado pelos médicos fundadores Roberto Kalil Issa e Sérgio Tufik, a costurar um novo acordo de acionistas, a fim de evitar uma futura perda de controle. As ações vinculadas ao acordo passaram a representar 50,46% das ações ordinárias da empresa.

Consolidação

A movimentação na Alliar ocorreu após a Rede D’Or anunciar OPA (oferta pública voluntária de aquisição) dos papéis da empresa, oferecendo um prêmio de 12,6% acima do preço de fechamento médio ponderado por volume no período de 30 dias.

PUBLICIDADE

No fim de agosto, o Grupo Fleury também comunicou ao mercado ter iniciado estudos preliminares para avaliar uma potencial transação envolvendo a Alliar, mas o o assunto não avançou e permanece o posicionamento de que o Fleury avalia continuamente oportunidades de aquisição que possam contribuir com seus objetivos estratégicos, segundo disse a CEO do Fleury, Jeane Tsutsui, em entrevista à Bloomberg Línea, no fim do mês passado.

O setor de saúde atravessa uma fase de operações de fusões e aquisições (M&A), neste segundo ano da pandemia da Covid-19 no Brasil. A Alliar é apontada como um grande player do segmento de diagnósticos médicos.

A ação ordinária da Alliar (AALR3) fechou, ontem, cotada a R$ 13,66. A máxima do ano de fechamento é de R$ 15,31, registrada no dia 25 de agosto, mês em que Tanure entrou no capital da companhia.

Leia também

Petróleo sai da máxima dos últimos sete anos com aumento dos estoques nos EUA

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE