PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Hapvida e Kora aceleram onda de M&A da saúde; veja quem comprou quem

No segundo ano da pandemia da Covid-19, grupos hospitalares com recursos captados em IPOs vão às compras para ampliar posições

Ancorada pelos recursos captados em IPO, grupo capixaba Kora Saúde já anunciou três aquisições de unidades hospitalares no Ceará, além de compras em Goiás
14 de Outubro, 2021 | 10:00 am
Tempo de leitura: 4 minutos

São Paulo — As operações de M&A (fusões e aquisições) avançam no setor de saúde do Brasil, no segundo ano da pandemia da Covid-19. Nas últimas semanas, grupos hospitalares fizeram anúncios para consolidar suas posições nas diferentes regiões do mercado nacional.

A capixaba Kora Saúde, que abriu capital em agosto, amplia sua posição para as regiões Centro Oeste e Nordeste, com aquisições principalmente no Ceará, onde já adquiriu três hospitais.

PUBLICIDADE

Já a cearense Hapvida, que estreou na Bolsa em 2018 e ainda aguarda decisão do Cade sobre a fusão com a paulista Notre Dame Intermédica, mostra apetite por crescimento. Ontem, adquiriu o Hospital Viventi, de Brasília, depois de ter anunciado a compra da HB Saúde, de São José do Rio Preto (SP), no mês passado, derrotando a oferta da paulista SulAmérica.

Confira quem comprou quem

13/10 - A operadora cearense de planos de saúde Hapvida adquiriu 100% do capital votante da Viventi Hospital Asa Sul, na área nobre de Brasília. O preço da aquisição foi de R$ 22 milhões. A Hapvida vai comprar por R$ 200 milhões o imóvel em que se encontra o hospital, que terá capacidade para até 114 leitos e contará com centro cirúrgico, serviço de quimioterapia e hemodinâmica. O negócio vai ajudar a Hapvida a ampliar presença na região Centro-Oeste

PUBLICIDADE

11/10 - A rede hospitalar capixaba comprou 80% do Grupo OTO, formando sociedade com acionistas fundadores na operação de todas as atividades da empresa no Ceará. O preço de aquisição foi de R$ 240 milhões. Nos últimos três meses, a Kora Saúde concluiu três aquisições em Fortaleza (Hospital Gastroclínica, Hospital São Mateus e Hospital Otoclínica Matriz), criando o maior grupo hospitalar do Ceará, totalizando 449 leitos, segundo o fato relevante

5/10 - A Rede D’Or São Luiz, do Rio de Janeiro, anunciou a compra, por R$ 230 milhões, de 100% do capital social do Hospital Aeroporto, localizado no município de Laurto de Freitas, na região metropolitana de Salvador (BA), que conta com 85 leitores. A operação inclui a aquisição do imóvel no qual se localiza a unidade, o que deve possibilitar a expansão de, no mínimo, 115 leitores, chegando ao total de, no mínimo, 200 leitos

1/10 - A paulista Notre Dame Intermédica, que tenta uma fusão com a Hapvida, negócio ainda dependente do aval do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), concluiu a aquisição da Casa de Saúde e Maternidade Santa Martha, passando a operar um total de 4 hospitais (435 leitos) e uma carteira com mais de 270 mil vidas de planos de saúde no Estado do Rio de Janeiro. A aquisição, anunciada em no dia 30 de julho, custou R$ 160 milhões

1/10 - A paulista SulAmérica concluiu a compra da carteira de planos privados e de assistência à saúde da Santa Casa de Misericórdia de Ponta Grossa (PR), reforçando sua posição e relevância no Paraná e no Sul do Brasil, agregando cerca de 25 beneficiários à sua carteira de saúde na região, dentro de seu palno de crescimento no segmento de saúde e odonto em regiões estratégicas. A aquisição foi de R$ 14,4 milhões

24/9 - A Rede D’Or anuncia interesse de aumentar posição acionária na Qualicorp, administradora de planos de saúde, mas não divulgou quantidade de ações a serem adquiridas em operações na Bolsa de Valores, pois depende ainda de obtenção de autorização do Cade e das condições de mercado. Atualmente, a posição da Rede D’Or corresponde a 25,51% do capital da Qualicorp

24/9 - A Hapvida anuncia a aquisição do grupo paulista HB Saúde por R$ 383,5 milhões, ampliando sua presença no maior mercado de saúde do país. A operadora cearense disputava o ativo com a SulAmérica. A aquisição da HB Saúde, se concluída, vai permitir à Hapvida explorar a região de São José do Rio Preto, uma praça estratégica para a expansão no interior de São Paulo

PUBLICIDADE

2/9 - O grupo paulista Fleury, tradicional no segmento de medicina diagnóstica no Brasil, conclui a compra de 100% do Laboratório Pretti e do Laboratório Bioclínico, ambos localizados no Espírito Santo. O Fleury já demonstrou interesse em comprar a Alliar, como admitiu no dia 30 de agosto em comunicado. Como disse à Bloomberg Línea, a CEO do Fleury, Jeane Tsutsui, a compra de ativos está condicionada à displina financeira, indicando a indisposição da companhia de pagar caro por ativos.

30/8 - Kora Saúde compra o Instituto de Neurologia de Goiânia (ING), o primeiro hospital de neurologia do Brasil, e também adquire participações societárias indiretas no Centro Goiano de Ortopedia e Traumatalogia (CGOT) e na Angiocardis Diagnósticos e Terapêutica, por R$ 116,9 milhões. Esses negócios marcaram a entrada da companhia no mercado de saúde de Goiás, na região Centro-Oeste

6/8 - Rede paulista de farmácias Raia Drogasil aprova a compra de 100% da Dr. Cuco Desenvolvimento de Software, a Cuco Health, por valor não informado. Fundada em 2016, a Cuco Health é um assistente digital de saúde que ajuda pacientes a seguirem os tratamentos prescitos por médicos. O objetivo do aplicativo é aumentar a aderência ao tratamento, principalmente em relação às doenças crônicas assintomáticas

PUBLICIDADE

Confira outras aquisições no setor de saúde neste ano

Leia também

Volume de serviços sobe 0,5% em agosto, no maior nível em seis anos

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE