PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Fundadores da Alliar ampliam bloco de controle após investida de Nelson Tanure

Primeiro aditivo ao novo acordo de acionistas eleva participação majoritária dos médicos fundadores para 50,46% das ações

Médicos fundadores da Alliar fortalecem bloco de controle da companhia para evitar investidas de Nelson Tanure, novo sócio
23 de Agosto, 2021 | 11:30 am
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — Os fundadores da empresa de diagnósticos médicos Alliar, os médicos fundadores Roberto Kalil Issa e Sérgio Tufik, conseguiram ampliar a adesão ao novo acordo de acionistas, a fim de evitar uma futura perda do controle, após a entrada do empresário Nelson Tanure na estrutura societária da companhia.

Veja mais: Roberto Kalil e Sérgio Tufik firmam novo acordo de acionistas

PUBLICIDADE

Nesta segunda-feira (23), a Alliar informou o primeiro aditivo ao novo acordo de acionistas, divulgado na última sexta-feira (20). A mudança é que as ações vinculadas ao acordo passam a representar 50,46% das ações ordinárias da empresa. A primeira versão do acordo, divulgado na última sexta-feira (20), apontava 50,2% das ações.

Tanure tem uma participação de 25,85% do capital da Alliar, após adquirir 21,14% das ações por meio do fundo de investimento Fonte de Saúde, que comprou os 21,14% dos fundos da gestora de private equity Pátria.

Veja mais: Viveo fecha compra da Profarma Specialty e da Cirúrgica Mafra

PUBLICIDADE

Mesmo que diga que o Fonte de Saúde não objetiva alterar a composição do controle acionário ou a estrutura administrativa da companhia, o bloco que controla a Alliar preferiu se precaver costurando um novo acordo de acionistas, que impeça que seus médicos fundadores sejam surpreendidos por uma eventual venda dos papéis de outros acionistas para Tanure.

A investida de Tanure na Alliar veio após a Rede D’Or anunciar uma oferta pública voluntária de aquisição (OPA) dos papéis da empresa, oferecendo um prêmio de 12,6% acima do preço de fechamento médio ponderado por volume no período de 30 dias.

O atual movimento de acionistas na Alliar se deve ao impacto da pandemia da Covid-19 no setor de saúde, que atravessa uma fase de operações de fusões e aquisições (M&A). A Alliar é apontada como um grande player do segmento de diagnósticos médicos.

Leia também

Kora Saúde dispara em estreia na Bolsa

NotreDame compra maternidade em Niterói

Pague Menos quer concluir aquisição da Extrafarma em 2022

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE