PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Fim da novela: Tanure vira principal investidor da Alliar

Grupo de medicina diagnóstica inicia nova fase após a conclusão da venda de controle para empresário Nelson Tanure

Com o controle da Alliar em suas mãos, Nelson Tanure sinalizou que deverá fazer, nos próximos anos, investimentos no grupo de medicina diagnóstica, principalmente em tecnologia, inovação e gestão
15 de Abril, 2022 | 10:15 am
Tempo de leitura: 3 minutos

São Paulo — O empresário Nelson Tanure se tornou o principal investidor da Alliar, um dos principais grupos de medicina diagnóstica do Brasil, após a conclusão da troca de controle, ontem (14). O grupo paulista Fleury (FLRY3) e Rede D’Or (RDOR3) chegaram a cobiçarar o negócio, no ano passado.

PUBLICIDADE

Foram meses de negociação até que o Fundo Fonte de Saúde, que tem Tanure como principal cotista, investisse R$ 1,25 bilhão na compra da participação do Pátria e, agora, das ações dos médicos fundadores.

“A Alliar é uma companhia fantástica, com grande potencial, e nós temos certeza de que conseguiremos, com muito estímulo à inovação e investimento em tecnologia, aumentar a capilaridade e contribuir para que ela se torne a maior companhia de medicina diagnóstica do país”, comentou Tanure, em nota.

PUBLICIDADE

Tanure é conhecido por investir em empresas e mídia, como Jornal do Brasil e Gazeta Mercantil, e infraestrutura, como Oi (OIBR4), PetroRio (PRIO3), Comex e Companhia Docas de Santos. Hoje ele é o principal investidor do Fundo Bordeaux, dono da Ligga (ex-Copel Telecom).

A negociação envolveu cerca de 70 acionistas e foi conduzida com o apoio de escritórios de advocacia como o Wald, Antunes, Vita e Blattner Advogados e o Cescon Barrie Advogados. Houve ainda a participação de bancos nacionais e estrangeiros como Banco Master, BTG Pactual (BPAC11), Credit Suisse (CS) e Modal.

Com a conclusão da operação, será realizada uma oferta pública de ações (OPA), como previsto no contrato celebrado entre o grupo de controle e o Fundo Fonte de Saúde. Os minoritários poderão vender suas ações pelos mesmos R$ 20,50 oferecidos ao grupo de controle.

Em seu comunicado, Tanure disse que a Alliar estava sendo acompanhada e analisada há muito tempo por sua filha, Isabella, que é médica e já tinha operações na área de saúde. Ela se especializou em medicina diagnóstica e gestão hospitalar.

Rede D’Or chegou a anunciar a intenção de realizar uma oferta pública voluntária (OPA), mas desistiu da empreitada no fim de agosto. A Em setembro, a CEO do grupo Fleury, Jeane Tsutsui, comentou a oportunidade de aquisição da Alliar, após admitir ter iniciado estudos preliminares para avaliar a transação, mas a negociação não avançou, e a executiva disse à Bloomberg Línea que as aquisições do grupo tinham de respeitar a disciplina financeira.

PUBLICIDADE

Início da novela

A entrada de Tanure na disputa pela Alliar ocorreu em agosto do ano passado, quando o Pátria vendeu toda a sua participação ao investidor. Em outubro, o empresário propôs comprar, do bloco de controle, mais 20% do capital da companhia. Em novembro, ele apresentou a última oferta (R$ 20,50 por ação), que foi aceita pelos acionistas.

Fundado em 2011, o grupo Alliar é resultado da fusão de quatro empresas do setor de diagnóstico médico por imagem nas cidades mineiras de Belo Horizonte e Juiz de Fora, além de Campo Grande (MS) e São José dos Campos (SP). O grupo tem mais de 100 unidades de atendimento ambulatorial e cerca de 1.200 médicos.

A companhia está presente em dez estados: São Paulo (CDB, Plani e Proimagem), Espírito Santo (Multiscan), Minas Gerais (Axial, Nuclear, São Judas Tadeu e Cedimagem), Mato Grosso do Sul (Diimagem e Multilab), Pará (CSD), Bahia, Paraíba e Rio Grande do Norte (Delfin), Paraná (Sabedotti) e Resende (Cedimagem).

“A expectativa é que a Alliar, uma marca já consolidada no mercado de diagnósticos, alcance novos patamares de posicionamento com o reforço da agenda de inovação e digitalização dos serviços, além de retomar o crescimento orgânico e inorgânico com uma forte agenda de potenciais M&A’s - ampliando nosso portfólio de serviços e investindo em novas oportunidades no segmento de saúde”, disse a CEO interina da Alliar, Karla Maciel, em nota.

Leia também

Páscoa sem bacalhau? Pressão por demanda e inflação encarecem itens tradicionais

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.