Internacional

Crise energética global estabelece novas rotas de comércio de carvão

Novos percursos e fornecedores demonstram alta na demanda, principalmente na Ásia

Embarque no porto Zhelezny Rog, na Rússia, e desembarque na China
Por Alfred Cang e Dan Murtaugh
04 de Outubro, 2021 | 09:26 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A crise energética global está reformulando as rotas de comércio de carvão, ilustrando a forte demanda por um combustível considerado decadente por muitos.

A província de Zhejiang, ao leste da China, recebeu recentemente a primeira carga marítima de carvão do Cazaquistão, bem como uma remessa de Xinjiang enviada por transporte ferroviário. Enquanto isso, usinas da Europa estão interessadas no carvão da Indonésia pela primeira vez em dois anos, segundo a publicação chinesa do setor Fengkuang Coal Logistics.

Essas movimentações incomuns mostram o desespero dos países em garantir o máximo possível do combustível, já que as crises energéticas estão surgindo em diversos continentes. Os preços do carvão atingiram níveis recorde na Ásia – de longe o maior mercado do combustível.

Veja mais: A turbulência que se acumula para a economia mundial na reta final de 2021

PUBLICIDADE

Poucas cargas fizeram um trajeto pouco eficiente como a que saiu do Cazaquistão, por terra, rumo ao porto Zhelezny Rog, na Rússia, onde foi carregada no cargueiro Caro no fim de agosto, segundo dados da Bloomberg. A embarcação passou 30 dias navegando por cerca de 16 mil quilômetros antes de descarregar as 136 mil toneladas de carvão de alta qualidade na segunda-feira (4), segundo declaração da estatal Zhejiang Energy Group.

É um reflexo da demanda de algumas áreas da China em meio a uma escassez geral no abastecimento, então outros produtores de carvão são acionados” afirmou Zeng Hao, analista da consultora Shanxi Jinzheng Energy.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE

Banco PAN, do BTG, fecha compra da Mosaico, desvalorizada 70% após IPO


PUBLICIDADE