PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Ruídos em Brasília pesam mais uma vez e levam Ibovespa ao vermelho; dólar fica estável

Aumento de tensões políticas podem diminuir ainda mais disposição do senado para aprovação de reforma do imposto de renda

Ruídos na política geram dúvidas sobre futuro fiscal do país
23 de Agosto, 2021 | 06:06 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — A bolsa brasileira encerrou o pregão desta segunda-feira (23) em queda e dólar apresentou instabilidade ao longo da tarde, em mais um dia onde as tensões e incertezas políticas do país prevaleceram em relação ao bom humor externo.

  • A bolsa ficou na casa dos 117.000 pontos, com a crise institucional entre Planalto, Congresso e Supremo Tribunal Federal pesando no sentimento. A alta do petróleo fez com que as ações da Petrobras (PETR4 e PETR3) subissem, impedindo quedas maiores do índice, mas não o suficiente para reverter a tendência. Em contraposição, os papéis da Vale (VALE3) caíram, com os receios sobre a demanda por minério de ferro no mundo
  • O dólar também sofreu com o mal estar em Brasília, tendo oscilado ao longo da tarde mas com prevalência do sentimento de alta. As taxas dos juros futuros foram ainda mais impactadas que a moeda, com altas de até 20 pontos em contratos médios e longos

O movimento observado no mercado local hoje ainda é efeito dos acontecimentos da última sexta-feira (20), quando o presidente Jair Bolsonaro apresentou um pedido inédito de impeachment contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, relator do inquérito das fake news. É a primeira vez que a Presidência faz um pedido do gênero na história recente do país.

PUBLICIDADE

O estremecimento da relação com o STF gera receios no mercado de que as reformas em tramitação no Congresso, como a tributária, possam continuar a ser adiadas, por falta de clima político para possíveis aprovações.

“O aumento da tensão pode tornar ainda menor a disposição dos senadores em avançar com o projeto de lei que trata da reforma do Imposto de Renda, texto que já vem enfrentando dificuldades”, disse Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora.

  • Câmbio: O dólar fechou em torno da estabilidade, a R$ 5,3805
  • Bolsa: O Ibovespa caiu 0,49%, a 117.471 pontos. Lideraram os ganhos em pontos as ações da Petrobras (PETR4 e PETR3), Itaú (ITUB4) e JBS (JBSS3). As ações da B3 (B3SA3), Vale (VALE3) e Magazine Luiza (MGLU3) foram destaques negativos
  • Destaques da bolsa: A ação da Embraer (EMBR3) cravou uma nova cotação máxima de 30 dias, disparando 6,44%, negociada a R$ 21,15, após divulgar planos de disponibilizar até 100 “carros voadores” para o mercado asiático. O papel fechou em alta de 5,28%, a R$ 20,92.
  • Juros: As taxas dos DIs fecharam em forte alta. A taxa para janeiro de 2022 subiu para 6,714%, enquanto as para janeiro de 2027 para 10,240%
  • Bitcoin: No final do dia, a criptomoeda operava em alta de 1,34%, a US$ 46.277, após ter superado a marca de US$ 50.000, maior alta em 3 meses
  • Exterior: Em Nova York, as principais bolsas seguiram os mercados europeus, com o Dow Jones fechando em alta de 0,61%, o S&P500 0,85% e o Nasdaq, de 1,55%

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

Agfintech LeveAgro quer captar R$ 10 milhões ainda em 2021 para expandir atuação

Cerradinho Bionergia contrata Itaú BBA para liderar coordenação de IPO na B3

Gás argentino no Brasil: o que é o projeto milionário promovido por Bolsonaro?

El Salvador faz lançamento de bitcoin com 200 caixas eletrônicos

Em queda na B3, construtoras e incorporadoras apostam em programas de recompra de ações

Igor Sodré

Igor Sodré

Jornalista com formação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, com experiência na cobertura de cultura e economia, tendo como foco mercado financeiro e companhias. Passou pela Bloomberg News e TradersClub.

PUBLICIDADE