PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Musk deixa dúvidas sobre Twitter e alerta para recessão nos EUA

CEO da Tesla disse que uma contração da economia americana é só questão de tempo

Elon Musk participa de forma virtual do Fórum Econômico do Catar
Por Angus Whitley
21 de Junho, 2022 | 03:58 pm
Tempo de leitura: 3 minutos

Bloomberg — Elon Musk, o bilionário visionário e muitas vezes imprevisível, adotou um tom sóbrio nesta terça-feira (21) ao prever uma provável recessão nos Estados Unidos e deixou dúvidas sobre seu compromisso com uma aquisição de US$ 44 bilhões do Twitter (TWTR).

PUBLICIDADE

Em entrevista ao editor-chefe da Bloomberg News, John Micklethwait, no Fórum Econômico do Catar em Doha, o CEO da Tesla (TSLA) disse que a força de trabalho da fabricante de carros elétricos precisa ser reduzida, pois a cadeia de suprimentos prejudica o crescimento. Ele também foi franco em sua visão de que a economia dos EUA está caminhando para uma contração. É só uma questão de tempo.

“Uma recessão é inevitável em algum momento”, disse Musk, que se juntou ao fórum do Oriente Médio por meio de vídeo dos EUA, às 3h00 da manhã do horário de Nova York. “Quanto a se há uma recessão no curto prazo, é mais provável que sim do que não.”

PUBLICIDADE

Sua perspectiva econômica pessimista segue projeções semelhantes de Nouriel Roubini e Goldman Sachs.

Oferta do Twitter

Se Musk foi inequívoco sobre suas visões econômicas, ele deixou sua posição sobre um dos negócios mais controversos do ano – seu acordo para comprar o Twitter – em dúvida.

O homem mais rico do mundo disse que há “algumas questões não resolvidas” e ainda está esperando uma resolução sobre quantos bots – contas automatizadas – existem na plataforma de mídia social. A transação não pode ser concluída antes que a questão seja esclarecida e os acionistas aprovem o acordo, disse Musk.

“Há um limite para o que posso dizer publicamente”, disse ele. “É um assunto meio delicado.”

A relutância ou incapacidade de Musk em endossar totalmente o acordo não dissipará as especulações de que ele está usando o problema dos bots para tentar desfazer a transação.

PUBLICIDADE

Com a economia dos EUA prestes a entrar em marcha ré, Musk reconheceu que é hora de desacelerar a expansão da Tesla em algumas áreas. Ele confirmou que a força de trabalho assalariada da montadora será reduzida em cerca de 10% nos próximos três meses, resultando em uma redução geral de cerca de 3,5% no número total de funcionários.

Ele disse que tem a ambição de inscrever metade da população mundial no Twitter se sua aquisição for aprovada.

Política

O bilionário emergiu como uma força política em potencial e disse na semana passada que votou nos republicanos pela primeira vez nas eleições primárias no Texas. Musk também indicou que está se inclinando para apoiar o governador da Flórida, Ron DeSantis, que se posicionou como um conservador convicto e herdeiro político do ex-presidente Donald Trump.

Mas na entrevista em Doha, Musk não quis comentar sobre suas posições políticas para a eleição presidencial.

“Estou indeciso neste momento”, disse, quando perguntado especificamente se apoiaria Trump. Musk disse, no entanto, que está disposto a colocar uma quantia “não trivial” de até US$ 25 milhões em um fundo de campanha.

Questionado sobre onde vê a concorrência mais vibrante em veículos elétricos, Musk disse que estava “muito impressionado com as empresas de automóveis na China”.

PUBLICIDADE

“Eles são extremamente competitivos, trabalhadores e inteligentes”, disse.

Ele também revelou que uma equipe da Tesla está trabalhando para ter um protótipo de robô humanoide pronto até o final de setembro.

Criptomoedas

Questionado sobre criptomoedas, ele declarou apoiar o dogecoin, uma criptomoeda criada como piada em 2013, porque alguns de seus funcionários pediram.

A SpaceX e a Tesla, por exemplo, compraram algum bitcoin (BTUSD), “mas é uma pequena porcentagem do nosso caixa”, disse Musk. “Também comprei um pouco de dogecoin e a Tesla aceita dogecoin para algumas mercadorias, e a SpaceX fará o mesmo.”

PUBLICIDADE

“E pretendo apoiar pessoalmente o dogecoin porque conheço muitas pessoas que não são tão ricas que me incentivaram a comprar e apoiar o dogecoin.”

O Ministério do Comércio e Indústria do Catar, a Autoridade de Investimento do Catar e a Agência de Promoção de Investimentos do Catar são os subscritores do Fórum Econômico do Catar, desenvolvido pela Bloomberg. A Media City Qatar é a organização anfitriã.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Ebanx demite 20% dos funcionários e cita cenário macro como razão