PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Demanda de fabricantes de chips gera apagões generalizados em Taiwan

Capacidade da rede elétrica da ilha é motivo de preocupação e apagões vêm se tornando comuns

Grandes fabricantes de chips (incluindo a maior do mundo) possuem operações na ilha, energia é uma preocupação recorrente
Por Cindy Wang e Samson Ellis
03 de Março, 2022 | 10:25 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Taiwan teve apagões em toda a ilha nesta quinta-feira (3), no mais recente sinal de que sua rede elétrica está com problemas para atender à crescente demanda por energia de seus fabricantes de tecnologia.

Uma falha na usina termelétrica Hsinta em Kaohsiung levou a uma queda de energia no sul de Taiwan na manhã da quinta-feira. Isso desencadeou apagões em partes do centro e norte de Taiwan, incluindo a capital Taipei, segundo declarações da estatal Taiwan Power. A fornecedora de energia elétrica disse que o fornecimento foi restabelecido em mais de 4 milhões de residências – mais de 80% das afetadas – até a parte da tarde, no horário local, mas a mídia local informou que apagões contínuos ainda ocorriam no sul.

PUBLICIDADE

Embora partes do centro de fabricação de chips de Hsinchu também tenham sido afetadas, o Hsinchu Science Park disse que seu abastecimento de energia permaneceu normal. Um representante da Taiwan Semiconductor Manufacturing disse que a empresa não foi afetada, ao passo que a ASE Technology Holding afirmou que o impacto foi limitado e que as fontes de alimentação foram gradualmente restabelecidas. A United Microelectronics disse que suas instalações no sul de Taiwan também estavam voltando a funcionar.

A siderúrgica China Steel também interrompeu parte da produção em sua fábrica de Kaohsiung devido ao apagão, informou o Apple Daily, com sede em Taipei, citando a empresa.

A investigação inicial da queda de energia mostra que esta ocorreu devido ao desligamento do equipamento, mas também destaca o dilema e a fragilidade de que o norte de Taiwan precisa depender do sul para fornecimento de energia”, disse o porta-voz do gabinete Lo Ping-cheng.

PUBLICIDADE

A resiliência da rede elétrica de Taiwan tornou-se uma preocupação global crescente nos últimos anos. Taiwan, que sedia a TMSC, maior fabricante de chips do mundo, desempenha um papel fundamental no fornecimento mundial de chips de computador, e algumas horas sem eletricidade são suficientes para interromper as cadeias de suprimentos globais. A escassez mundial de semicondutores aumentou as preocupações, gerando uma disputa entre grandes empresas, desde marcas de eletrônicos a montadoras, para garantir os suprimentos já escassos.

A pressão do governo para energia renovável e a eliminação progressiva da energia nuclear coincide com um aumento na demanda à medida que mais fabricantes constroem usinas na ilha em vez do exterior. Os equipamentos de última geração e alto consumo de energia para fabricação de chips usados por empresas como a TSMC para seus semicondutores de ponta também são um fardo crescente para a rede.

A quase obsoleta unidade de Hsinta esteve no centro de dois apagões em questão de dias em maio do ano passado. Milhões de residências e quase metade dos parques industriais de Taiwan foram afetados pela oferta insuficiente e pelos apagões contínuos.

A confiabilidade da energia foi uma das principais preocupações trazidas pelas empresas da Câmara de Comércio Americana na pesquisa de clima de negócios de Taiwan para 2022 divulgada em janeiro. A suficiência energética era o principal problema no qual o governo deveria focar, à frente da covid-19 e das relações através do Estreito de Taiwan, segundo as respostas dos membros da Câmara.

PUBLICIDADE

--Com a colaboração de Debby Wu e Chien-Hua Wan.

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também