Agro

Brasil deixa de exportar meio bilhão de dólares em café

Falta de contêineres, menor disponibilidade de navios, incerteza da frequência e a agilidade abaixo do esperado em portos americanos e europeus criaram um problema logístico sistêmico

Problemas logísticos no mundo já fizeram com que o Brasil deixasse de exportar 3,5 milhões de sacas em apenas quatro meses
13 de Setembro, 2021 | 05:59 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — Alta nos preços do frete marítimo internacional, constantes cancelamentos de bookings nos navios, dificuldade para novos agendamentos e a disputa por contêineres e lugares nas embarcações. O caos logístico global que se instalou com a reativação da economia na Europa e nos Estados Unidos por conta de uma forte demanda por produtos, especialmente da China, já fez com que o Brasil deixasse de exportar US$ 500 milhões apenas em café entre os meses de maio e agosto.

Na prática, 3,5 milhões de sacas de café deixaram de ser embarcadas nos últimos meses, segundo levantamento do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). A falta de contêineres é o problema mais visível, mas a menor disponibilidade de navios, a incerteza da frequência e a agilidade abaixo do esperado em portos americanos e europeus criaram um problema sistêmico.

Veja mais: Exportador de café vai usar a Serasa para fugir de calote

“O levantamento também mostrou que a média das rolagens de carga variou entre 10% e 20% de janeiro a abril de 2021, saltou para entre 20% e 30% em abril e maio, chegando aos patamares médios de rolagens de 40% a 50% nos últimos três meses, o que explica o significativo volume de café que o Brasil deixou de embarcar”, afirma Nicolas Rueda, presidente do Cecafé.

PUBLICIDADE

Exportações de café em queda

O cenário fez com que as exportações mensais voltassem a cair. Em agosto, o Brasil exportou 2,67 milhões de sacas, volume 25,7% inferior ao registrado no mesmo período do ano passado. Esse foi o pior mês de agosto desde 2017. A receita com os embarques caiu 1,6% e somou US$ 420,5 milhões.

O desempenho da receita só não foi pior pois os preços do café no mercado internacional seguem em patamares elevados. O valor médio da saca exportada pelo Brasil no mês passado foi de US$ 157,26, resultado 31,5% superior a agosto de 2020. O atual patamar de preços é o mais elevado dos últimos 12 meses.

Leia também

EUA reduzem restrição de viagens ao Brasil

PUBLICIDADE

Ilan Goldfajn assume departamento do FMI para Américas em janeiro

Commodities retomam rali e pressionam bancos centrais

Alexandre Inacio

Alexandre Inacio

Jornalista brasileiro, com mais de 20 anos de carreira, editor da Bloomberg Línea. Com passagens pela Gazeta Mercantil, Broadcast (Agência Estado) e Valor Econômico, também atuou como chefe de comunicação de multinacionais, órgãos públicos e como consultor de inteligência de mercado de commodities.

PUBLICIDADE