A mudança no comando da Petrobras

Também no Breakfast: Por que a demanda por petróleo segue aquecida apesar da eletrificação | Os desafios e o avanço da Stone | A volta do financiamento imobiliário na Argentina com Milei

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — Este é o Breakfast - o seu primeiro gole de notícias. Uma seleção da Bloomberg Línea com os temas de destaque no mundo dos negócios e das finanças. Bom dia!

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva demitiu Jean Paul Prates, o CEO da Petrobras, após a disputa sobre o pagamento de dividendos.

A Petrobras disse em um comunicado na noite de terça-feira (14) que Prates deve renunciar oficialmente em uma próxima reunião do conselho. A estatal confirmou que o Ministério de Minas e Energia propôs o nome de Magda Chambriard, ex-chefe da ANP, para substituir Prates, uma indicação do presidente Lula.

Assim como Prates, Chambriard fez parte da equipe de transição de Lula para a área de energia em 2022. A ex-chefe da ANP defendeu anteriormente a necessidade de o Brasil explorar petróleo em novas áreas, incluindo a Margem Equatorial e a Bacia de Pelotas.

PUBLICIDADE

“O boom do pré-sal acabou. É hora de buscar novas fronteiras para que o Brasil continue produzindo petróleo”, disse ela à Bloomberg News em uma entrevista em dezembro passado. Chambriard também apoia mais investimentos no refino de petróleo doméstico e quer ver mais commodities processadas no Brasil em vez de exportadas como matérias-primas.

Leia mais: O que esperar da Petrobras sob o comando da nova CEO indicada pelo governo

Sede da Petrobras no Rio de Janeiro: pressão do governo pelo aumento dos investimentosdfd

No radar dos mercados

As ações globais caminham para uma nova máxima depois de um rali liderado pelo setor de tecnologia em Wall Street, em meio ao otimismo de que os dados de inflação dos EUA desta quarta-feira (15) não minarão as apostas em cortes nas taxas de juros do Federal Reserve.

⛏️ Nova oferta. Os acionistas da BHP e da alvo de aquisição Anglo American esperam que a maior mineradora do mundo apresente uma terceira e aprimorada proposta antes do prazo regulatório da próxima semana, mesmo depois de a empresa menor ter apresentado um plano de reestruturação ousado na terça-feira.

🇦🇷 Corte de juros. A Argentina reduziu sua taxa de juros pela sexta vez durante o mandato de Javier Milei, desta vez de 50% para 40%, já que o governo vê a inflação diminuindo enquanto encolhe o balanço do banco central.

📊 Balanço. A Nu Holdings reportou receita recorde no 1º tri de US$ 2,7 bilhões, ao mesmo tempo em que reconheceu que seu crescimento está acompanhado de uma taxa de inadimplência mais alta.

Leia a matéria completa sobre o que está guiando os mercados hoje

Breakfast 15-5-24dfd
🔘 As bolsas ontem (14/05): Dow Jones Industrials (+0,32%), S&P 500 (+0,48%), Nasdaq (+0,75%), Stoxx 600 (+0,15%), Ibovespa (+0,28%)

LEIA + Siga a trilha dos mercados para conhecer as variáveis que orientaram os investidores →

🗓️ Agenda: Os eventos e indicadores em destaque hoje e na semana →

Destaques da Bloomberg Línea:

De Kapitalo a Legacy: multimercados ajustam posições após pior mês desde 2022

Stone avança além do ‘guidance’ e em banking, diz CFO. Falta convencer o mercado

Diretor que votou por corte de 0,50 ponto diz que BC ainda mira o centro da meta

E mais na versão e-mail do Breakfast:

• Também é importante: Sob Milei, bancos da Argentina voltam a oferecer financiamento imobiliário | NG.Cash, fintech para a geração Z, capta R$ 65 mi com Monashees e Andreessen Horowitz

• Opinião Bloomberg: Por que a demanda por petróleo se mantém apesar de avanço de carros elétricos

• Para não ficar de fora: Verão no Hemisfério Norte foi o mais quente em 2.000 anos, aponta estudo

Essa foi uma amostra de Breakfast, a newsletter matinal da Bloomberg Línea com as notícias de destaque no Brasil e no mundo.

Para receber a íntegra da newsletter na sua caixa de email, registre-se gratuitamente no nosso site.

Por hoje é só. Bom dia!

Obrigado por ler nossa newsletter matinal.

Equipe Breakfast: Marcelo Sakate (Editor-chefe, Brasil), Filipe Serrano (Editor, Brasil) e Mariana d’Ávila (Editora Assistente, Brasil)