Mercados

Goldman Sachs vê Fed subindo juro em 0,50 ponto em maio e junho

Para economistas do banco, BC americano em seguida vai elevar a taxa em 0,25 ponto nas quatro reuniões restantes do ano

Goldman Sachs vê Fed subindo juro em 0,50 ponto em maio e junho
Por Enda Curran
22 de Março, 2022 | 10:04 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Os economistas do Goldman Sachs (GS) esperam que o banco central dos EUA suba a taxa básica de juros em 0,50 ponto percentual nas reuniões de maio e junho.

Para a equipe de economistas liderada por Jan Hatzius, o Federal Reserve em seguida vai elevar a taxa em 0,25 ponto percentual nas quatro reuniões restantes do ano. Para 2023, a projeção é de três altas — uma em cada um dos três primeiros trimestres.

O Goldman mudou a previsão após a fala do presidente do Fed, Jerome Powell, na segunda-feira, indicando que o banco central está preparado para aumentar os juros em 0,50 ponto percentual em sua próxima reunião, se necessário. Em discurso e comentários, ele falou de maneira mais agressiva sobre o combate à inflação do que apenas alguns dias antes.

O Fed subiu os juros em 0,25 ponto na semana passada após dois anos em que o custo de captação ficou perto de zero. A instituição também sinalizou mais seis acréscimos desta magnitude em 2022, com base na projeção mediana. Powell indicou que aumentos de 0,50 ponto percentual podem ser considerados na reunião que acontece nos dias 3 e 4 de maio e nos encontros seguintes.

PUBLICIDADE

A linguagem de Powell em discurso e comentários foi um claro sinal de maior rigor na política monetária, segundo os economistas do Goldman.

“Nosso palpite é que a mudança no palavreado de ‘constantemente’ em janeiro para ‘rapidamente’ hoje é sinal de que uma alta de 0,50 ponto está a caminho”, escreveram.

“A invasão da Ucrânia pela Rússia e a possibilidade de aperto maior das condições financeiras em resposta a um aperto mais rápido pelo Fed representam riscos negativos à nossa nova previsão”, alertaram os economistas. No entanto, eles acrescentaram que nenhum desses dois fatores aparenta ser um obstáculo neste momento.

A previsão do Goldman para a taxa de juros terminal permanece inalterada em 3% a 3,25%. O anúncio sobre o início da redução do balanço patrimonial do Fed é esperado para maio.

PUBLICIDADE

Veja mais em bloomberg.com

Leia também