PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Estilo de vida

Remake de ‘Pânico’ derruba Homem-Aranha do topo das bilheterias

Filme de terror arrecadou cerca de US$ 30,6 milhões em vendas de ingressos na América do Norte no fim de semana

Pânico traz de volta as estrelas originais Neve Campbell, Courteney Cox e David Arquette em um revival dirigido por Matt Bettinelli-Olpin e Tyler Gillett
Por Brian Eckhouse
16 de Janeiro, 2022 | 05:39 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O filme de terror Pânico derrubou Homem-Aranha: Sem Volta para Casa no topo das bilheterias dos EUA e do Canadá, tirando o filme com mais ingressos vendidos da era da pandemia, com mais de US$ 1,6 bilhão globalmente em quatro semanas de lançamento.

Pânico, o novo filme da franquia que começou há cerca de 25 anos, arrecadou cerca de US$ 30,6 milhões em vendas de ingressos na América do Norte no fim de semana, de acordo com a Comscore. O resultado superou a previsão de US$ 29,8 milhões do Boxoffice Pro para o filme da ViacomCBS Paramount Pictures. Enquanto isso, o blockbuster do Homem-Aranha, da Sony, gerou US$ 20,8 milhões, em comparação com uma previsão de US$ 19,9 milhões.

PUBLICIDADE

Principais insights

Não se surpreenda se Pânico ou Sem Volta Para Casa liderarem as bilheterias nos EUA e Canadá nos finais de semana do mês. A maioria dos novos filmes restantes que estreiam nos cinemas antes de fevereiro terão lançamentos limitados, de acordo com o Box Office Mojo.

Pânico traz de volta as estrelas originais Neve Campbell, Courteney Cox e David Arquette em um revival dirigido por Matt Bettinelli-Olpin e Tyler Gillett. É sobre um novo assassino que tem como alvo adolescentes na cidade de Woodsboro e também é estrelado por Melissa Barrera, Kyle Gallner e Mason Gooding. Cerca de três quartos dos críticos recomendaram o filme, de acordo com o Rotten Tomatoes.

Hollywood pretende fazer de 2022 um ano de retorno, com grandes filmes estreando exclusivamente nos cinemas depois que os estúdios se interessaram no ano passado com lançamentos simultâneos nos cinemas e nos serviços de streaming. Mas com o aumento dos casos de covid e um recuo no primeiro trimestre, é improvável que os cinemas dos EUA e do Canadá se aproximem dos US$ 11,4 bilhões em receitas de bilheteria geradas em 2019. A Bloomberg Intelligence agora prevê cerca de US$ 8 bilhões em receitas nos dois países este ano, o que seria quase o dobro de 2021.

PUBLICIDADE

Alguns dos filmes que geram mais buzz hoje foram feitos para serviços de streaming, incluindo Não Olhe Para Cima, da Netflix. A sátira às mudanças climáticas já está entre os filmes mais populares do serviço.

Leia também

Verão em Punta del Este: quanto custa comer nos melhores restaurantes?

Venezuela cresceu 4% em 2021 e está no caminho da recuperação, diz Maduro

PUBLICIDADE