PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Ocyan, da ex-Odebrecht, contrata Lazard para nova reestruturação

Antiga Odebrecht Óleo e Gás tenta evitar inadimplência e negocia com credores para reorganizar estrutura de pagamentos da dívida, segundo fontes

Entre as alternativas a serem propostas pelos detentores de títulos estaria uma conversão de dívida em capital
Por Cristiane Lucchesi
05 de Maio, 2022 | 07:48 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A Ocyan SA, antiga Odebrecht Óleo e Gás, contratou o Lazard como assessor em uma nova reestruturação de dívida, segundo pessoas familiarizadas com o assunto.

A Ocyan está tentando evitar inadimplência e negocia com os credores para reorganizar a estrutura de pagamentos da dívida, disseram as pessoas, pedindo para não serem identificadas porque as discussões não são públicas. A Pimco e a Moneda estão entre os detentores de dívida externa da empresa, que contrataram o Houlihan Lokey, o Pinheiro Neto Advogados e o Cleary Gottlieb Steen & Hamilton LLP como assessores.

A empresa está trabalhando com os advogados Eduardo Munhoz Advogados e Davis Polk & Wardwell LLP.

A Odebrecht Óleo e Gás, unidade de perfuração de petróleo da Novonor, antiga Odebrecht, fez uma reestruturação extrajudicial em 2017, dois anos antes de a holding que a controlava entrar com pedido de recuperação judicial por causa de seu envolvimento no escândalo de corrupção da Lava Jato.

PUBLICIDADE

Em 2016, a empresa de óleo e gás tinha mais de US$ 5 bilhões em dívidas, dos quais cerca de US$ 3 bilhões eram de detentores de títulos de dívida externa. Após deixar de pagar juros de um bônus perpétuo de US$ 550 milhões, a empresa negociou com os credores e ofereceu dividendos das unidades operacionais como pagamento e obteve aprovação de pelo menos 60% deles para sua reestruturação extrajudicial. Os recursos dos títulos foram levantados ​para financiar a construção de navios-sonda offshore utilizados pela Petrobras, de acordo com seu prospecto.

Agora, entre as alternativas a serem propostas pelos detentores de títulos estaria uma conversão de dívida em capital, que poderia dar aos detentores de títulos o controle da Ocyan, disseram as pessoas. Em março passado, Pimco e Moneda estavam entre os credores de outra empresa de óleo brasileira, a Queiroz Galvão Oil & Gas Constellation, que aprovou uma reestruturação de dívida de US$ 1,84 bilhão que deu a esses detentores de títulos o controle acionário da empresa. Uma ideia poderia ser fundir as duas empresas no futuro para economizar custos, disseram as pessoas.

“A Ocyan está sempre acessando alternativas de estrutura de capital como parte de sua estratégia financeira e de competitividade,” disse a empresa em um e-mail enviado à Bloomberg News, acrescentando que “este processo é regido por um termo de confidencialidade.” Pimco, Moneda, Davis Polk, Houlihan e Cleary não responderam imediatamente a um e-mail pedindo comentários. Pinheiro Neto Advogados, Eduardo Munhoz e Lazard não quiseram comentar.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também

Banco recomenda que investidores aprendam com emergentes a investir com inflação

Revolut quer absorver o talento tech demitido por unicórnios brasileiros