PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Novak Djokovic tem visto cancelado pela Austrália mais uma vez

O visto foi revogado por motivos de saúde e boa ordem e com base no interesse público, conforme o ministro da Imigração do país

Tempo de leitura: 3 minutos

Bloomberg — A Austrália cancelou o visto de Novak Djokovic pela segunda vez, revertendo uma decisão judicial que frustrou temporariamente a tentativa do governo federal de deportar a estrela do tênis não vacinada.

O ministro da Imigração, Alex Hawke, exerceu poderes especiais para anular a decisão do tribunal, poucos dias antes do número 1 do mundo no tênis masculino disputar a 21ª vitória recorde de Grand Slam no Aberto da Austrália. O visto foi revogado por motivos de saúde e boa ordem e com base no interesse público, disse ele em comunicado nesta sexta-feira (14).

PUBLICIDADE

Veja mais: Djokovic fica um passo mais próximo do Aberto da Austrália

“Os australianos fizeram muitos sacrifícios durante esta pandemia e esperam, com razão, que o resultado desses sacrifícios seja protegido”, disse o primeiro-ministro Scott Morrison em comunicado após a decisão. “Nossas fortes políticas de proteção de fronteiras mantiveram os australianos seguros.”

Morrison disse que não comentaria mais sobre o cancelamento devido a processos legais em andamento. Em uma audiência nesta sexta-feira, os advogados de Djokovic apresentaram um pedido para que o atleta não fosse detido antes de se apresentar perante as autoridades de fronteira no sábado, após o qual ele entraria em detenção até uma audiência no domingo. O juiz Anthony Kelly concedeu o pedido ainda hoje (14).

PUBLICIDADE

Um pedido de última hora para realocar a detenção de Djokovic para evitar um frenesi da mídia desencadeou uma resposta farpada do juiz.

“Eu não serei parte ou de forma alguma seduzido na possibilidade muito real de um circo da mídia”, disse Kelly, antes de permitir que o local de detenção seja acordado mais tarde.

Djokovic foi inscrito no Aberto da Austrália na quinta-feira, apesar das dúvidas persistentes sobre sua capacidade de jogar, com o cabeça de chave número um enfrentando o também sérvio Miomir Kecmanovic em sua primeira partida.

PUBLICIDADE

A indignação pública persegue o campeão desde sua chegada ao país na semana passada. A revelação de que ele conseguiu uma isenção médica para jogar no torneio desencadeou uma onda de raiva em um país que sofreu algumas das restrições mais duras vistas na pandemia, com Melbourne se tornando uma das cidades mais fechadas do mundo. Enquanto o estado de Victoria concedeu a isenção a Djokovic, as autoridades federais anularam seu visto na chegada.

Kelly anulou o cancelamento do visto em uma audiência na segunda-feira (10), dizendo que o jogador não teve tempo suficiente para responder totalmente às autoridades que lhe negaram a entrada na Austrália. Ele alertou que qualquer tentativa do ministro Hawke de usar seus poderes pessoais de cancelamento pode significar que Djokovic não poderá retornar à Austrália por três anos.

“Ao tomar esta decisão, considerei cuidadosamente as informações fornecidas a mim pelo Departamento de Assuntos Internos, pela Força de Fronteira Australiana e pelo Sr. Djokovic”, disse Hawke no comunicado nesta sexta-feira (14). “O governo de Morrison está firmemente comprometido em proteger as fronteiras da Austrália.”

PUBLICIDADE

A medida ocorre quando o primeiro-ministro procura mostrar que seu governo está gerenciando a crise da pandemia apenas alguns meses antes das eleições nacionais que devem ser realizadas até maio deste ano.

Djokovic esta semana causou mais polêmica na Austrália e no exterior quando admitiu que participou de uma entrevista de jornal e sessão de fotos depois que soube que testou positivo para covid-19. Ele também culpou “erro humano” por uma declaração de viagem incorreta que ele usou para entrar na Austrália.

Veja mais: Covid: Djokovic admite ter feito sessão de fotos após teste positivo

PUBLICIDADE

O Raiffeisen Bank International, patrocinador de Djokovic, diz que está “observando de perto a situação atual” relacionada ao atleta, de acordo com comentários enviados por e-mail.

Mais de 90% dos adultos australianos estão totalmente vacinados e as restrições permanecem para aqueles que não são. As pessoas que não tomaram pelo menos duas doses da vacina estão impedidas de entrar na maioria dos locais fechados em Victoria, pois o estado busca conter a propagação da variante ômicron e aliviar a pressão sobre os hospitais.

O país registrou mais de 100.000 novos casos de covid-19 pela primeira vez em um único dia no sábado após a chegada de Djokovic.

--Com assistência de Karin Matussek e Hugo Miller

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE