Internacional

Ômicron: Tráfego rodoviário despenca na Ásia com maiores restrições

Menos veículos transitaram pela maioria das capitais até agora este mês do que em dezembro, de acordo com dados de mobilidade da Apple

A disseminação da ômicron na China – o maior importador de petróleo do mundo – é a maior preocupação do mercado
Por Elizabeth Low
13 de Janeiro, 2022 | 08:53 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O tráfego rodoviário na Ásia caiu no início do ano, à medida que a variante ômicron, altamente contagiosa, varre a região, sinalizando um sinal de baixa para a demanda por petróleo.

Menos veículos transitaram pela maioria das capitais até agora este mês do que em dezembro, de acordo com dados de mobilidade da Apple, enquanto as autoridades renovam as restrições para conter a propagação do vírus. A ômicron recentemente violou as duras defesas da China contra a covid, levando o Goldman Sachs a reduzir a previsão de crescimento para o país em 2022. Os cancelamentos de voos também estão aumentando na região.

Embora as perspectivas pareçam sombrias, a ômicron até agora não teve um grande impacto no mercado de petróleo. Os preços dos principais contratos mantiveram uma tendência de alta e, embora as margens de lucro da fabricação de gasolina na Ásia tenham diminuído desde meados de dezembro, ainda são mais que o dobro em comparação com o ano anterior.

Queda do tráfego: movimentação nas principais capitais asiáticas está caindo à medida que aumentam as restrições contra a ômicrondfd

Tráfego rodoviário mais fraco

A disseminação da ômicron na China – o maior importador de petróleo do mundo – é a maior preocupação do mercado. A variante se espalhou recentemente para a principal cidade portuária de Dalian após o bloqueio de Anyang, região de 5 milhões de pessoas. A nação também está lutando contra um surto da variante delta em Xi’an.

PUBLICIDADE

Embora a Apple não forneça dados sobre a China, o provedor local Baidu mostrou que o congestionamento rodoviário em Xi’an foi 39% menor em 11 de janeiro em comparação com o ano anterior. Em Pequim, o congestionamento aumentou 16% no mesmo período.

Na Índia, as restrições foram restabelecidas na capital à medida que as infecções aumentam, embora o governo federal tenha evitado instituir restrições em todo o país. A atividade média de tráfego nos primeiros dez dias de janeiro foi 61 pontos percentuais menor do que em dezembro, de acordo com a Apple, que contabiliza o número de solicitações feitas ao Apple Maps para obter direções para calcular a mobilidade.

Veja mais: Tripulação adoece e companhias aéreas cancelam voos no Brasil

Menos carros atravessam estradas em outras capitais regionais, como Tóquio, Manila e Kuala Lumpur, segundo dados da Apple. A única exceção foi Ho Chi Minh, no Vietnã, que até agora registrou um aumento no tráfego.

PUBLICIDADE

Disseminação da ômicron na Ásia

A ômicron acelerou a taxa de infecção, levando a restrições nas viagens aéreas em todo o mundo. A China bloqueou alguns voos dos EUA, enquanto as Filipinas e Hong Kong cancelaram jogos para conter a disseminação. Os voos comerciais mundiais nos sete dias encerrados em 9 de janeiro ficaram cerca de 17% e 21% abaixo dos mesmos períodos de 2019 e 2020, respectivamente, de acordo com o FlightRadar24.

Os cancelamentos levaram a uma redução nas estimativas de demanda de combustível de aviação para a Ásia da BloombergNEF nos primeiros seis meses de 2022. Embora as viagens aéreas devam ser fracas no primeiro trimestre, dados que apontam para a ômicron sendo menos severa apresentam um forte argumento para a flexibilização das restrições e a renovação de viagens nos próximos trimestres, de acordo com a Fitch Solutions.

--Com a colaboração de Sarah Chen, Kevin Dharmawan e Alfred Cang

Leia também

Quase todos adolescentes que precisam de UTI para covid não são vacinados

Sony produzirá mais PlayStation 4 para suprir falta do PlayStation 5

PUBLICIDADE