promo
Negócios

Nubank segue os passos de rivais e entra no comércio eletrônico

Nova vertical conta com opções de sites e lojas com condições diferenciadas, incluindo gigantes do varejo

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — Seguindo os passos do rival Banco Inter, o Nubank anunciou nesta terça (23) sua entrada no comércio eletrônico, segmento que tem ajudado a rentabilizar o segmento de serviços financeiros.

Por meio da parceria com marcas de varejo, a fintech brasileira estreou hoje uma oferta de e-commerce em seu aplicativo. A plataforma conta com diversas opções de sites e lojas com condições diferenciadas, incluindo varejistas como AliExpress, Dafiti e Magalu. Segundo a empresa, o número de parceiros deverá ser expandido em breve.

“Com esta nova oferta, podemos fornecer ainda mais serviços em muitas outras áreas da vida dos clientes e tornar suas vidas e a experiência geral ainda mais enriquecedora e gratificante “, diz David Vélez, CEO e fundador da Nubank.

O novo serviço junta-se a mais outros do portfólio da empresa, que inclui cartão de crédito, contas digitais pessoais e empresariais, investimentos, empréstimos e seguros. Além disso, desde julho deste ano, o aplicativo do banco digital mostra ofertas de produtos de outras parcerias, com transferências internacionais do Remessa Online e, mais recentemente, financiamento de veículos da Creditas.

“Com os melhores parceiros da categoria, a vertical de comércio eletrônico expandirá a gama de produtos e serviços oferecidos por meio de nosso aplicativo, enquanto continuamos a garantir a excelente qualidade de experiência e serviços que oferecemos aos nossos clientes”, diz Juan Carlos Guillermety, VP e General Gerente de Marketplace na Nubank.

Além do anúncio de hoje, vale lembrar que o Nubank protagonizará uma das mais aguardadas ofertas iniciais de ações do ano. O IPO do banco digital deverá movimentar cerca de US$ 3,385 bilhões se as ações saírem no meio da faixa indicativa de preço, que vai de US$ 10 a US$ 11. Se forem exercidos todos os lotes extras e o preço sair no topo da faixa, a operação pode chegar a US$ 4,89 bilhões.

Cada cliente ativo no Brasil poderá receber, gratuitamente, um BDRs na oferta. “Milhões de clientes serão convidados a se tornarem sócios da empresa, sem nenhum custo, por meio do recebimento de um BDR por pessoa”, diz o Nubank. A expectativa é que o Nubank chegue a mercado valendo mais de US$ 50 bilhões, maior que os grandes bancos brasileiros e de gigantes como a Ambev.

Leia também

O que as disputas do Nubank contra os bancos ensinam sobre concorrência no Brasil

Nubank: BDR grátis para ampliar base e atrair cliente da concorrência

Igor Sodré

Igor Sodré

Jornalista com formação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, com experiência na cobertura de cultura e economia, tendo como foco mercado financeiro e companhias. Passou pela Bloomberg News e TradersClub.