promo
Mercados

Ibovespa oscila na abertura, com exterior e atenção à Petrobras

Exterior positivo e alta nos papéis da Petrobras favorecem bom humor nos mercados domésticos, mas quedas de bancos e ruídos políticos impedem alta mais consistente do principal índice da B3

Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — O Ibovespa oscila na primeira hora do pregão desta quinta-feira (14), dividido entre o viés de alta - favorecido pelo exterior no azul e o avanço dos papéis da Petrobras - e o recuo nos papéis de bancos, que também têm grande peso no índice.

  • Perto das 10h50, o Ibovespa rondava a estabilidade, aos 113.432 pontos
  • O dólar caía 0,34%, a R$ 5,511, enquanto a curva de juros apresentava desempenho misto. O DI para janeiro próximo subia de 7,306% para 7,328%, e o vencimento para janeiro de 2027 caía de 10,430% para 10,420%
  • Nos EUA, o Dow Jones subia 1,0%, o S&P 500, 1,03% e o Nasdaq, 1,21%

Contexto

A principal ação da Petrobras superou a barreira psicológica dos R$ 30 na abertura dos negócios da B3 desta quinta-feira (14), o que não acontecia desde janeiro deste ano. O papel PN (PETR4) atingiu uma cotação máxima de R$ 30,22, alta de 1,99%, em meio à volta do debate sobre a privatização da estatal em Brasília e às apostas na redução de sua dívida com a venda de ativos em negociações com consórcios privados.

Na manhã de hoje, o presidente Jair Bolsonaro voltou a tocar no assunto, durante entrevista a uma rádio evangélica de Recife (PE). “É muito fácil: aumentou a gasolina, culpa do Bolsonaro. Já tenho vontade de privatizar a Petrobras. Tenho vontade. Vou ver com a equipe econômica o que a gente pode fazer. Não posso controlar, melhor direcionar o preço, mas, quando aumenta, a culpa é minha apesar de ter zerado imposto federal”, disse ele, segundo agências.

Lá fora, os balanços de bancos melhores que o esperado favoreciam o avanço dos índices. O bom humor também é impulsionado pelo recuo nos pedidos de seguro-desemprego americanos, que recuaram ao menor nível desde março de 2020.

Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.