promo
Internacional

EUA: pedidos de seguro-desemprego atingem nível mais baixo desde março de 2020

Número registrado foi de 293 mil, uma queda de 36 mil pedidos em comparação à semana anterior

Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Os pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos caíram ao nível mais baixo desde março de 2020 na semana passada, o que mostra que os empregadores estão tentando manter seus funcionários em meio a um mercado de trabalho muito concorrido.

Contudo, em termos não ajustados, os pedidos iniciais tiveram um aumento de 16 mil em comparação com a semana anterior. Califórnia, Michigan, Missouri e Novo México registraram os maiores aumentos; Tennessee, Texas e Flórida, as maiores reduções.

Os pedidos contínuos de benefícios federais caíram para 2,6 milhões na semana encerrada em 2 de outubro.

Os pedidos têm diminuído com a recuperação da economia, aumentando a demanda por trabalho para acompanhar o consumo. O último aumento de casos de coronavírus não resultou em demissões generalizadas, pois as empresas procuraram contratar mais trabalhadores além de reter os atuais funcionários.

Veja mais: EUA: Mercado de trabalho decepciona, mas desemprego cai para 4,8% em setembro

Ainda assim, setembro foi o mês com o menor crescimento de empregos do ano nos EUA, pois o fim do auxílio de seguro-desemprego, iniciado com a pandemia, e a volta às aulas não levaram a um aumento considerável nas contratações. Isso, juntamente com os problemas persistentes da cadeia de suprimentos, levou vários economistas a reduzirem suas previsões de crescimento para o terceiro trimestre, divulgadas no final deste mês.

A escassez de creches provou ser um grande obstáculo, já que o número de mulheres no Payroll caiu no mês passado pela primeira vez desde dezembro de 2020.

O seguro-desemprego do governo federal devido à pandemia foi encerrado em 6 de setembro em todos os estados.

Veja mais em Bloomberg.com