Internacional

Salários dos americanos não acompanha alta da inflação

Mesmo com avanço anual de 4,7%, remuneração fica aquém da alta dos preços e pressiona o consumo das famílias

A projeção mediana em uma pesquisa da Bloomberg com economistas apontava para um aumento de 1,1
Por Reade Pickert
29 de Abril, 2022 | 10:36 am
Tempo de leitura: 3 minutos

Bloomberg — Os custos de emprego dos EUA aumentaram mais no início do ano, elevando as preocupações sobre a inflação persistente que preparou o terreno para uma ação política mais enérgica pelo Federal Reserve.

O índice de custo do emprego, um indicador amplo de salários e benefícios, avançou 1,4% no primeiro trimestre, segundo dados do Departamento do Trabalho divulgados nesta sexta-feira (29) Isso se seguiu a um avanço de 1% observado nos últimos meses de 2021.

A projeção mediana em uma pesquisa da Bloomberg com economistas apontava para um aumento de 1,1%. Os futuros de índices de ações caíram devido a perdas de lucros, enquanto o rendimento da nota do Tesouro de 10 anos subiu.

Comparado com o ano anterior, a medida de custos trabalhistas saltou 4,5%, o máximo em dados desde o início dos anos 2000. Ao contrário das medidas de rendimentos no relatório mensal de empregos, o ICE não é distorcido por mudanças de emprego entre ocupações ou indústrias.

PUBLICIDADE

Os ganhos de remuneração no último trimestre foram amplos em todos os setores, incluindo fortes avanços na fabricação e nos provedores de serviços.

Os salários e vencimentos dos trabalhadores civis subiram 4,7% em relação ao ano anterior, também o maior já registrado. Os benefícios subiram 4,1%. Excluindo o governo, os salários privados aumentaram 5% em relação ao ano anterior.

A extensão de ganhos saudáveis nos custos de emprego ressalta como o aumento dos salários é uma parte fundamental do quadro inflacionário e, se sustentado, manterá a pressão sobre o Fed para adotar uma abordagem mais agressiva da política. Em março, o presidente do Fed, Jerome Powell, disse que o ritmo atual de aumentos salariais não é consistente com a meta de inflação de 2% do banco central.

A mordida da inflação

Mesmo assim, os salários dos trabalhadores não estão acompanhando a inflação de décadas, espremendo as famílias e ameaçando desacelerar o consumo.

PUBLICIDADE

Um relatório separado na sexta-feira mostrou que o indicador de inflação preferido do Fed, o índice de preços de gastos com consumo pessoal, subiu 6,6% em março em relação ao ano anterior, o maior desde 1982.

Ainda assim, os gastos corrigidos pela inflação aumentaram nos últimos três meses, sinalizando que os consumidores continuam a fazer compras diante do aumento dos preços.

As vagas de emprego estão perto de recordes, levando empresas grandes e pequenas a aumentar os salários para atrair e reter trabalhadores. E embora os custos trabalhistas elevados tenham afetado as margens de algumas empresas, muitas empresas repassaram esses custos aos consumidores por meio de preços mais altos.

Mas os salários são apenas parte do quadro. Uma combinação de fatores está elevando os custos de insumos para as empresas, incluindo altos preços de materiais e desafios contínuos da cadeia de suprimentos. O indicador de preços de insumos da S&P Global subiu para um recorde este mês.

Olhando para o futuro, um mercado de trabalho apertado pode manter o crescimento dos salários em ebulição. A escassez de mão de obra diminuiu um pouco, mas o setor de lazer e hospitalidade ainda está lutando com 1,7 milhão de vagas.

As empresas em recentes teleconferências de resultados também notaram a guerra em andamento por talentos. John Greene, diretor financeiro da Discover Financial Services, disse na quinta-feira que a empresa espera “algum grau de pressão salarial em 2022 e possivelmente em 2023, à medida que tomamos medidas para nos mantermos competitivos”.

PUBLICIDADE

Mas a economia está enfrentando ventos contrários crescentes. As chances de recessão estão aumentando em meio às expectativas de que o Fed agirá agressivamente para controlar a inflação em brasa. E os números mais recentes sobre o crescimento econômico foram mais fracos do que o esperado. Como resultado, os ganhos salariais podem moderar nos próximos meses.

--Com a colaboração de Jordan Yadoo

Leia também

Vale a pena? Bancos cobram taxas de até 3% por fundo de uma única ação