Mercados

Metais disparam e níquel chega a US$ 24 mil com queda na oferta

Aperto na oferta de metais causou salto nos preços; no caso do níquel, causa da escassez é a demanda sólida por baterias

Necessidade do metal para baterias e tensões na Ucrânia (que afetam a Rússia, importante produtor de níquel) desequilibram mercado
Por Bloomberg News
20 de Janeiro, 2022 | 10:40 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os metais básicos subiram, com o níquel chegando a US$ 24 mil por tonelada pela primeira vez em mais de uma década, e o estanho atingiu um novo recorde com os problemas na oferta e a flexibilização monetária da China.

A oferta de metais tem diminuído com a recuperação da pandemia em todo o mundo. Todos os principais contratos da London Metal Exchange estão em backwardation – uma condição na qual os preços para entrega em dinheiro são mais altos que os futuros – sinalizando restrições de oferta. O mercado de níquel atingiu seu nível (MNK) mais apertado desde 2007 após uma queda nos estoques, o que levou a um monitoramento mais próximo da bolsa.

As ofertas de níquel da LME ficaram inalteradas nesta quinta-feira (20) após queda de 56 dias consecutivos.

Os ganhos do níquel em dois dias chegaram a mais de 10% quando os credores chineses reduziram os custos dos empréstimos pelo segundo mês consecutivo depois que o banco central cortou as taxas básicas de empréstimo e prometeu mais flexibilização para estimular a economia. O setor imobiliário do país – um pilar da demanda por metais – estava sob pressão do aperto das condições de crédito. As tensões na Ucrânia também aumentam o potencial de interrupções nas exportações da Rússia – importante produtor de níquel – disse o Morgan Stanley (MS).

PUBLICIDADE
Níquel escala para maior alta em uma década com aperto na ofertadfd

Além da última flexibilização de liquidez da China, a oferta extremamente apertada de metais é um dos principais impulsionadores do rally”, disse Wang Yue, analista da Shanghai East Asia Futures. No caso do níquel, “a demanda por baterias de veículos elétricos está tão alta que a oferta imediata não consegue acompanhar”, disse ele.

A produção na planta de processamento de níquel Tagaung Taung, apoiada pela China e localizada na região de Sagaing, em Mianmar, foi interrompida este mês depois de um corte de eletricidade, disse a pesquisadora Shanghai Metals Market, citando um relatório da revista The Irrawaddy. A unidade produz 85 mil toneladas de ferroníquel por ano e é a maior do país, segundo o relatório.

O níquel subia 5,5%, chegando a US$ 24.435 na LME, o maior salto desde agosto de 2011; a commodity antes era negociada a US$ 23.505 às 10h47, horário de Londres (7h47, horário de Brasília). Os futuros na China subiram dentro do limite diário.

Os futuros de cobre da LME subiam 1,1%, ao passo que o estanho subia até 3%, batendo um recorde.

PUBLICIDADE

--Com a colaboração de Eddie Spence.

--Esta notícia foi traduzida por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também