promo
Tech

Hubla, que ajuda ‘influencers’ a monetizar conteúdo, levanta R$ 60 milhões

Segundo a startup, apenas 1% dos criadores mais populares de plataformas digitais como YouTube e Instagram ganham dinheiro com seus conteúdos

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — A Hubla, plataforma que ajuda “influencers digitais” a monetizar seu conteúdo nas redes sociais, conseguiu um aporte de R$ 60 milhões liderado pela Kaszek.

Este foi o segundo investimento recebido pela startup. Na primeira captação, que levantou US$ 2,1 milhões no ano passado, os investidores foram Kaszek, Kevin Efrusy, Y-Combinator e Big Bets.

A plataforma aposta em levar esses influencers para comunidades pagas hospedadas em aplicativos de mensagens, onde os fãs têm acesso a conteúdos exclusivos.

Na avaliação da startup, o modelo de comunidades pagas é até popular no Brasil, mas difícil de conseguir escala porque envolve trabalho manual intensivo.

A startup oferece sistema de pagamento, automação da gestão de membros, ferramentas de vendas personalizadas, integrações com aplicativos de chat, entre outros recursos.

Segundo a Hubla, apenas 1% dos criadores mais populares de plataformas digitais como YouTube e Instagram ganham dinheiro com seus conteúdos.

A Hubla foi fundada em 2020, em Nova Lima (MG), plena pandemia, quando vários influenciadores digitais ganharam destaque e legiões de seguidores em meio às restrições sanitárias. A startup entrou no Programa de Aceleração da Y Combinator de abril a agosto de 2020 e foi uma das que mais cresceram no programa.

Hoje, conta com mais de mil comunidades ativas, que somam cerca de 60 mil assinantes mensais no Brasil e em Portugal. As comunidades são dos segmentos de saúde, fitness e bem-estar, finanças, investimentos, gastronomia, educação e música.

Além do Kaszek, a atual rodada de investimentos - uma série A - teve a participação de FJ Labs, Big Bets e Kevin Efrusy, um dos primeiros investidores do Facebook.

Os recursos irão para a criação de novas soluções para os criadores, além de contratações e investimentos para crescer em 2022.

Segundo Hernan Kazah, cofundador e sócio-gerente da Kaszek, a Hubla tem uma plataforma que permite que donos de comunidades construam negócios de sucesso em segmentos como investimentos, música e gastronomia. “Essa será uma parte significativa do futuro do trabalho e uma grande fonte de conteúdo de alta qualidade para milhões de usuários”, disse.

Arthur Alvarenga, CEO da Hubla, acredita que a adoção de tecnologia por parte dos consumidores abriu novas frentes de trabalho para os criadores de conteúdo. ”Existem inúmeras possibilidades e um mercado enorme para criar um negócio online e monetizar seu hobby, talento ou expertise”, disse.

Leia também

Twitter: Cripto é tema de maior crescimento em finanças na rede social

Toni Sciarretta

Toni Sciarretta

News director da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista com mais de 20 anos de experiência na cobertura diária de finanças, mercados e empresas abertas. Trabalhou no Valor Econômico e na Folha de S.Paulo. Foi bolsista do programa de jornalismo da Universidade de Michigan.