PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Saúde

EUA vão pagar US$ 5,3 bi por pílulas contra Covid-19 da Pfizer

A compra depende da liberação dos EUA do antiviral oral contra Covid, que a Pfizer já solicitou, de acordo com um comunicado da empresa na quinta-feira (11)

pfizer
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Os Estados Unidos pagarão à Pfizer US$ 5,3 bilhões por um pedido de 10 milhões de kits de sua pílula experimental Covid-19 começando no final deste ano.

A compra depende da liberação dos EUA do antiviral oral contra Covid, que a Pfizer já solicitou, de acordo com um comunicado da empresa na quinta-feira (11). A Bloomberg News divulgou o pedido anteriormente, citando pessoas familiarizadas com a situação, sem os detalhes financeiros. As ações subiam 0,6% em Nova York às 11h40, horário de Brasília.

PUBLICIDADE

A Pfizer se tornou uma das empresas mais envolvidas na resposta à pandemia, com sua pílula Covid e vacina de RNA mensageiro desenvolvida com a BioNTech da Alemanha. Os EUA disseram na quarta-feira (17) que ofereceriam fundos a empresas como a Pfizer para expandir a produção de vacinas de mRNA.

O pedido de antivirais nos EUA “parece apenas o começo, sugerindo que o limite inferior da faixa de vendas de US$ 7,5 bilhões a US$ 25 bilhões para o medicamento em nossa análise de cenário é muito baixo”, disse Sam Fazeli, analista da Bloomberg Intelligence, em nota de pesquisa. “O preço implícito de US$ 529 por tratamento é impulsionado pelo volume do negócio nos EUA, equivalente a 20% das expectativas de produção da Pfizer para 2022″.

Os EUA também encomendaram cerca de 3,1 milhões de kits de outro antiviral oral contra Covid da Merck e tem a opção em seu contrato de adquirir mais de 2 milhões de tratamentos adicionais. Embora o tratamento da Pfizer superou o da Merck em testes clínicos separados, os resultados podem não ser comparáveis devido às diferenças potenciais nos grupos de pacientes, disse Fazeli.

PUBLICIDADE

A Pfizer disse que vai investir até US$ 1 bilhão para fabricar e distribuir a pílula.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também: Pfizer vs. Merck: Uma análise das novas pílulas contra a Covid

PUBLICIDADE