PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Boeing prepara lançamento de cargueiro em desafio à rival Airbus

Segundo fontes, a companhia já negocia com a Qatar Airways, FedEx, Deutsche Lufthansa, Singapore Airlines e com a DHL, unidade da Deutsche Post

Boeing deve apresentar em breve uma versão cargueiro de seu jato 777X
Por Julie Johnsson e Mary Schlangenstein
06 de Outubro, 2021 | 03:02 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A Boeing deve lançar uma versão cargueiro de seu jato 777X nas próximas semanas e está em negociações avançadas com a Qatar Airways e outros potenciais compradores, disseram pessoas informadas sobre o assunto.

O lançamento do primeiro novo jato da Boeing em quatro anos vai intensificar a disputa com a Airbus pela supremacia em um segmento que se expande enquanto as vendas de jatos de passageiros desaceleram na pandemia de Covid-19. A fabricante de aviões europeia comercializa um cargueiro baseado em seu jato A350-1000, na tentativa de interromper décadas de domínio da Boeing em um negócio lucrativo.

Além da Qatar Airways, a Boeing também negocia com a FedEx, Deutsche Lufthansa, Singapore Airlines e com a DHL, unidade da Deutsche Post, de acordo com as pessoas, que pediram para não serem identificadas. Embora as conversas da Boeing sobre o novo cargueiro sejam conhecidas, os detalhes do lançamento oficial, provavelmente no Dubai Airshow no próximo mês, não haviam sido divulgados.

Para a Boeing, o lançamento do cargueiro 777X seria uma chance de voltar a competir depois de passar a maior parte dos últimos três anos focada em problemas de qualidade, falhas de gestão e tensões financeiras causadas por dois acidentes com o jato 737 Max. Além disso, problemas com reguladores adiaram a estreia comercial do primeiro jato de passageiros 777X em pelo menos três anos, até o final de 2023.

PUBLICIDADE

É atípico uma fabricante de aviões vender uma variante cargueiro de um jato antes que a versão de passageiros chegue ao mercado. A decisão da Boeing reflete a dificuldade enfrentada para vender aviões de 400 lugares em um mercado de viagens desaquecido, bem como a ameaça que as novas aeronaves da Airbus representam para a franquia de carga da empresa dos EUA.

“A Airbus provavelmente pensa que a Boeing está em uma posição onde não consegue responder”, disse Richard Aboulafia, analista aeroespacial do Teal Group. O Boeing 747 deve sair da linha no próximo ano, criando a oportunidade para um novo avião assumir a liderança do mercado de carga aérea.

Tom Crabtree, diretor regional de carga aérea da Boeing, disse que o cargueiro 777X, como o anterior 747, define a “referência” para maximizar o volume de carga que pode caber dentro de sua estrutura.

O cargueiro A350, “em termos de seção transversal, está apenas no mesmo nível do MD-11”, disse Crabtree, referindo-se a um cargueiro do antigo McDonnell Douglas, entregue pela última vez há duas décadas.

PUBLICIDADE

“Então, gosto de nossas chances? Sim, porque temos um corte transversal maior”, disse em entrevista.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Boeing vê recuperação como impulso de mercado de US$ 9 trilhões

Bloomberg Línea lança lista com os 500 mais influentes da América Latina