promo
Mercados

Principal do dia: exterior misto com balanços e variante; no Brasil, 1º dia de Copom

No BREAKFAST: TSE abre inquérito contra Bolsonaro, mercado não tira os olhos do Copom e bolsas asiáticas caem com receios por variante delta

Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — A primeira semana de agosto segue em tom positivo em parte dos mercados externos, com as bolsas europeias e os futuros americanos reagindo a balanços acima das expectativas. Na Ásia, o aumento no número de casos da variante delta da Covid-19, além de receios sobre maiores regulações do governo do país no setor de tecnologia, mantiveram os principais índices acionários em leve queda. Por aqui, o foco devem ser os desdobramentos da abertura de inquérito administrativo pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o presidente Jair Bolsonaro, além das expectativas com o início dos dois dias de reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom).

  • Futuros americanos sobem, com Dow Jones (+0,49%), S&P 500 (+0,39%) e Nasdaq (+0,14%). Na Europa: índices DAX (+0,16%), CAC (+0,96%) e FTSE (+0,4%)
  • Tóquio/Nikkei 225 (-0,5%), Hong Kong/Hang Seng (-0,16%) e Xangai (+0,47%). A cepa altamente contagiosa da Covid-19 se espalhou por quase metade das 32 províncias da China em duas semanas depois de um surto inicial na cidade oriental de Nanjing. Residentes de Pequim foram aconselhados a não deixar a capital, houve cancelamento de voos e algumas cidades e distritos estão isolados.
  • Embora o número de casos ainda seja relativamente baixo, o potencial de expansão da delta na China, como ocorreu na Índia e na Indonésia, preocupa investidores.
  • Por aqui, o dólar reduziu a queda no fim do dia e fechou com recuo de 0,73%, a R$ 5,1743, enquanto o Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, encerrou o dia com alta de 0,59%, a 122.515 pontos. Totvs, B2W e Taesa foram os destaques das altas durante a tarde. CSN, CVC e Petrobras PN lideraram a ponta oposta; a petroleira recuou com a queda do petróleo.
  • Conforme pesquisa Bloomberg, 20 entre 22 economistas consultados apostam que, na decisão do BC desta quarta-feira (4), a taxa básica de juros (Selic) deve ser elevada dos 4,25% atuais para 5,25%. Os outros dois esperam uma alta de 0,75 ponto percentual, para 5%.

Direto de Brasília (e outros lugares)

  • O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, por unanimidade, abrir um inquérito administrativo contra o presidente Jair Bolsonaro por seus ataques às urnas eletrônicas. O inquérito administrativo não pode resultar em punição direta ao presidente. Suas eventuais conclusões, contudo, podem ser usadas em ações futuras impetradas por partidos no âmbito da Justiça Eleitoral. O TSE, também por unanimidade, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o presidente Bolsonaro seja incluído no inquérito sobre fake news.
  • O gatilho da resposta do TSE ao presidente foi a live da última quinta, onde atacou as urnas eletrônicas, mas admitiu não ter provas de que o sistema de votação foi fraudado. No final de semana, o presidente participou, por videochamada, de manifestações contra as urnas eletrônicas. Ontem, Bolsonaro voltou a criticar o sistema.
  • Na quinta, a Câmara deve votar, em comissão especial, a PEC do voto impresso. A perspectiva hoje é que a proposta seja derrotada por maioria.
  • O país registrou 473 mortes por Covid-19 na segunda-feira (2). O total de óbitos atingiu 557.359 desde o início da pandemia. A média móvel de mortes nos últimos sete dias foi de 968 (a mais baixa desde 18 de janeiro). É o terceiro dia seguido com essa média abaixo de 1 mil. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -19%.
  • Até agora 110,6 milhões de brasileiros (65,5%) receberam a primeira dose da vacina contra Covid-19 e 42,1 milhões haviam recebido a segunda dose ou a dose única (26,2%).

As manchetes dos jornais:

  • Governo planeja fundo para pagar precatórios (Valor Econômico)
  • Judiciário reage a ameaças e decide investigar Bolsonaro (Folha de S.Paulo)
  • TSE decide abrir inquérito para investigar Bolsonaro (O Globo)
  • TSE investigará Bolsonaro por ataques ao sistema eleitoral (O Estado de S.Paulo)
  • Companies press fresh round of worker mask requirements (Wall Street Journal)
  • Americans suffer pandemic whiplash as leaders struggle with changing virus (New York Times)
  • Liberals erupt in fury at White House over end of eviction moratorium (Washington Post)

Enquanto você dormia

  • Itaú Unibanco: Maior banco privado brasileiro, o Itaú Unibanco teve lucro líquido recorrente de R$ 6,5 bilhões no segundo trimestre, resultado 55,6% superior ao apurado no mesmo trimestre do ano passado, período marcado pelo forte aumento de provisões para risco de crédito com o início da pandemia. O resultado veio pouco acima da previsão média de R$ 6,379 bilhões do consenso de analistas da Bloomberg.
  • Copasa: A companhia registrou R$ 237,1 milhões em lucro a controladores no 2T
  • Marcopolo: A companhia registrou lucro líquido de R$ 200,9 milhões no 2T e EBITDA acima das estimativas
  • Cielo O volume de transações financeiras da companhia no 2T superou as estimativas, assim como o lucro líquido, que ficou em R$180,4 milhões
  • PetroRio: A companhia registrou lucro líquido de R$ 420,9 milhões no 2T
  • Pague Menos: A empresa registrou lucro líquido ajustado de R$ 71,6 milhões no 2T
  • Bradesco reduz recomendação e preço-alvo para ação da OceanPact com risco de governança
  • Governo vai propor Bolsa Família de R$ 400, diz CNN Brasil
  • Balança comercial brasileira tem superávit de US$ 7,4 bilhões em julho

Na Bloomberg Línea

Agenda do dia

  • Balanços pós-mercado: Bradesco, Ômega Geração e Rede D’or
  • Indicadores Brasil: IPC Fipe Mensal (5h); Produção Industrial (9h).
  • Indicadores EUA: Pedidos de bens duráveis (11h); Encomendas à indústria (11h)
  • Jair Bolsonaro: Reuniões com ministro do Trabalho e Previdência, do Meio Ambiente e da Secretaria-Geral da Presidência; cerimônia de Sanção do PL 4909/2020, que torna a língua brasileira de sinais (libras) como primeira língua.
  • Paulo Guedes (Economia): Seminário virtual, com transmissão nas redes sociais e canal do YouTube do site Poder360; reuniões com o secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, Roberto Fendt, com o secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal Horário, com o senador Roberto Rocha (PSDB/MA), com o senador Wellington Fagundes (PL/MT), com o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira.
  • Roberto Campos Neto (BC): Participa da primeira sessão da Reunião do Copom.

Para não ficar de fora

TÓQUIO 2020: As velejadoras Martine Grael e Kahena Kunze conquistaram a medalha de ouro em Tóquio e se tornaram bicampeãs olímpicas após repetirem o feito de 2016, nos jogos do Rio. A dupla brasileira venceu a regata final da categoria 49er FX, após a prova ter sido adiada em um dia por questões meteorológicas.

Já a boxeadora Bia Ferreira venceu a luta das quartas de final e garantiu ao menos o bronze para o Brasil, enquanto o pugilista Abner Teixeira conquistou a medalha de mesma cor após perder a semifinal para o cubano Julio La Cruz na categoria peso pesado (entre 81 quilos e 91 quilos).

Graciliano Rocha

Graciliano Rocha

Editor da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista formado pela UFMS. Foi correspondente internacional (2012-2015), cobriu Operação Lava Jato e foi um dos vencedores do Prêmio Petrobras de Jornalismo em 2018. É autor do livro "Irmã Dulce, a Santa dos Pobres" (Planeta), que figurou nas principais listas de best-sellers em 2019.

Ana Siedschlag

Ana Carolina Siedschlag

Editora-assistente na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero e especializada em finanças e investimentos. Passou pelas redações da Forbes Brasil, Bloomberg Brasil e Investing.com.