Mercados

BTG retira Orizon da carteira de Small Caps, ação despenca até 10,55% e CVM pede esclarecimentos

Papel da companhia fluminense de tratamento de resíduos ambientais e geração de biogás registra expressivo volume de negócios no pregão desta segunda, movimentando quase R$ 120 milhões

Fluminense Orizon transforma lixo em matéria-prima e energia renovável
02 de Agosto, 2021 | 06:41 pm
Tempo de leitura: <1 minuto

São Paulo — As ações da companhia fluminense de tratamento de resíduos ambientais e geração de biogás Orizon chegaram, nesta segunda, a despencar 10,55% no pregão da B3, cotadas na mínima do dia de R$ 24,57, com um movimento expressivo de negócios (R$ 119,81 milhões, bem acima do volume de sexta, R$ 5,7 milhões).

O movimento atípico dos papéis acionou a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que pediu esclarecimentos sobre o tombo tão expressivo e o aumento inesperado de transações.

“Entendemos que tais oscilações mencionadas no ofício podem estar relacionadas à saída das ações ordinárias (ORVR3) da Orizon Valorização de Resíduos S.A. da carteira de Small Caps do BTG Pactual, ocorrida em 2 de agosto de 2021”, respondeu a companhia.

A ação da empresa fechou em baixa de 5,35%, cotado a R$ 26.

A Orizon atua na gestão ambiental, com destinação final de resíduos sólidos, beneficiamento e industrialização de resíduos, engenharia ambiental e implantação de sistemas eficientes de geração de energia limpa em ecoparques.

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE