PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Saúde

CDC reduz tempo de isolamento de Covid com aumento de casos da ômicron

Prazo foi reduzido pela metade, mas infectado deve obrigatoriamente usar máscara ao se aproximar de outras pessoas

Contágio acontece no início da doença, permitindo a redução do período de isolamento
Por Angelica Peebles e Timothy Annett
28 de Dezembro, 2021 | 12:50 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Pacientes de Covid-19 podem deixar o isolamento após cinco dias se não apresentarem mais sintomas, disseram as autoridades de saúde dos Estados Unidos, reduzindo o período recomendado anteriormente pela metade, enquanto a variante ômicron causa aumento das infecções.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças afirmaram em comunicado na segunda-feira (27) que após o período inicial de isolamento de cinco dias, pessoas com Covid-19 devem usar máscaras por mais cinco dias quando estiverem perto de outras pessoas. A nova orientação substitui as recomendações anteriores de que as pessoas que testarem positivo deveriam se isolar por 10 dias.

PUBLICIDADE

Espera-se que os casos da Covid-19 aumentem nos EUA após o feriado de fim de ano, ameaçando mudar a vida de trabalhadores e estudantes infectados ou expostos ao vírus. Períodos de isolamento e quarentena mais curtos permitirão que as pessoas voltem ao trabalho ou à escola mais cedo, possivelmente reduzindo interrupções generalizadas que podem causar fechamento de escolas ou problemas nas cadeias de suprimento.

Veja mais: Casos diários globais de Covid-19 atingem recorde com ômicron

Estudos que sugerem que a doença causada pela variante ômicron não é tão grave, principalmente para pessoas que foram vacinadas e receberam doses de reforço, aumentaram a pressão sobre as autoridades de saúde pública para aliviar sua postura sobre quando as pessoas infectadas ou expostas podem retornar às suas rotinas.

PUBLICIDADE

Na semana passada, o CDC diminuiu sua orientação de isolamento para profissionais de saúde, dizendo que aqueles com Covid-19 leve ou moderado poderiam retornar ao trabalho após sete dias ao apresentar um teste de antígeno negativo.

“Isso é incrível – consistente com as evidências e os dados de contágio”, publicou no Twitter Ashish Jha, reitor da Escola de Saúde Pública da Universidade Brown, que anteriormente havia recomendado um período de isolamento mais curto juntamente com um teste de Covid negativo. “É exatamente o que nosso país precisa agora”.

Transmissão no início

A mudança de orientação do CDC foi motivada pela ciência, mostrando que o contágio pelo coronavírus ocorre no início do curso da doença – de um a dois dias antes do início dos sintomas e nos dois a três dias seguintes, disse a agência.

O CDC também atualizou seu período de quarentena recomendado para pessoas que foram expostas ao Covid-19. Para os indivíduos que não foram vacinados, ou para aqueles que são elegíveis para receber uma dose de reforço mas ainda não o fizeram, a agência recomenda uma quarentena de cinco dias seguida pelo uso rigoroso de uma máscara por mais cinco dias.

No entanto, se uma quarentena de cinco dias não for viável, uma pessoa exposta deve usar uma máscara bem ajustada, como uma N95, em todos os momentos em que estiver perto de outras pessoas por 10 dias após a exposição.

Veja mais: Covid com ômicron não é a mesma doença, diz cientista da Oxford

PUBLICIDADE

Indivíduos que receberam a dose de reforço não precisam entrar em quarentena após a exposição, mas devem usar uma máscara por 10 dias, disse o CDC. Se ocorrerem sintomas, os indivíduos devem entrar em quarentena até que um teste negativo confirme que eles não têm Covid-19.

O governo Biden recentemente pressionou para que as doses de reforço fossem aplicadas a mais pessoas, e a nova orientação poderia atrair mais americanos a buscar outra dose da vacina. Quase um terço das pessoas totalmente vacinadas nos EUA receberam o reforço, de acordo com o CDC.

--Com a colaboração de Emma Court.

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE