PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cripto

Biden diz que aumento de preços nos EUA estão desacelerando

Presidente do país apontou que números de gasolina e automóveis de outubro não refletem recente queda dos preços

"Mesmo com esse progresso, os aumentos de preços continuam pressionando os orçamentos das famílias"
Por Alex Wayne
10 de Dezembro, 2021 | 02:28 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O presidente dos EUA, Joe Biden, disse que, apesar do país ter experimentado a maior inflação em quase 40 anos em novembro, os aumentos de preços no país estão desacelerando, especialmente para gasolina e automóveis.

“Os números de hoje refletem as pressões que as economias em todo o mundo enfrentam à medida que emergimos de uma pandemia global”, disse Biden em um comunicado depois do relatório do Departamento do Trabalho mostrar um aumento anual de 6,8% no índice de preços ao consumidor em novembro.

PUBLICIDADE

“Mas os eventos após a coleta desses dados no mês passado mostram que o aumento de preços e custos está diminuindo, embora não tão rápido quanto gostaríamos”, disse ele.

O indicador de inflação subiu 0,8% em relação a outubro, superando ligeiramente as previsões, mas o índice anual do IPC, a inflação mais rápida que o país experimentou desde 1982, permaneceu em linha com as expectativas.

Biden disse que “metade dos aumentos de preços neste relatório são de automóveis e custos de energia a partir de novembro” e que, desde então, os preços começaram a cair em ambos os setores.

PUBLICIDADE

“Mesmo com esse progresso, os aumentos de preços continuam pressionando os orçamentos das famílias”, disse ele. “Estamos avançando nos desafios relacionados à pandemia em nossa cadeia de suprimentos, tornando mais caro colocar os produtos nas prateleiras, e espero mais progresso nisso nas próximas semanas.”

Biden pediu ao Congresso que aprove o plano de infraestruturas, um pacote de gastos com prioridades sociais e climáticas, juntamente com aumentos de impostos que ele descreveu como uma luta contra a inflação, incluindo políticas destinadas a reduzir os custos de infraestrutura, cuidar de crianças e idosos e outros serviços.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também