PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Ômicron no Reino Unido pode estar mais rápida do que na África do Sul

Reino Unido pode estar em risco de mais internações porque a idade média da população é mais alta do que na África do Sul

Epidemiologista incentiva a população inglesa a tomar doses de reforço o mais rápido possível
Por Corinne Gretler e Marcelle Castro
10 de Dezembro, 2021 | 11:54 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A cepa ômicron pode estar se espalhando mais rapidamente na Inglaterra do que na África do Sul, com a previsão de que os casos da variante no Reino Unido chegue a 60.000 por dia no Natal, segundo o epidemiologista John Edmunds.

É provável que haja mais casos de ômicron do que confirmados por testes, disse Edmunds, que trabalha na Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, em um webinar organizado pela Royal Society of Medicine na quinta-feira (9). O Reino Unido pode estar em risco de mais internações porque a idade média da população é mais alta do que na África do Sul, explicou Edmunds.

PUBLICIDADE

Veja mais: Europa vê sinais de que último pico do vírus está se estabilizando

O surgimento da variante ômicron e seu grande número de mutações levantou questões como seu potencial de driblar a proteção de vacinas, sua taxa de transmissão e se pode levar à doença grave. Os primeiros resultados de experimentos de laboratório indicam que a proteção pelas vacinas existentes não será totalmente eliminada, e alguns médicos na África do Sul descreveram os casos como leves, em sua maioria, embora os primeiros dados precisem ser interpretados com cautela.

Enquanto um painel de especialistas da Organização Mundial de Saúde declarou que precisa de mais dados para oferecer recomendações sobre a variante ômicron, a Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido disse que espera que pelo menos metade de todos os casos de Covid-19 sejam causados pela ômicron, nas próximas duas a quatro semanas, se forem mantidas a taxa de aumento de infecções e o tempo de duplicação dos casos observados nas duas últimas semanas. O primeiro-ministro, Boris Johnson, reforçou as medidas, incluindo trabalhar em casa, uso de máscaras mais eficazes e a cobrança do passe Covid.

PUBLICIDADE

No ritmo atual, os casos da ômicron podem ultrapassar 1 milhão até o final do mês, alertou o secretário de Saúde, Sajid Javid, na quarta-feira (8), em um comunicado entregue à Câmara dos Comuns. Ele estimou que o número de casos já era de cerca de 10.000, relatou o Guardian.

Edmunds chamou a cepa ômicron de “revés muito severo” e incentivou a população a tomar doses de reforço o mais rápido possível. Em sua opinião, as medidas do Plano B do governo não são uma reação exagerada.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Marcelle Castro

Marcelle Castro

Localization Specialist na Bloomberg Línea. Tradutora brasileira formada pela Universidade de Brasília com mestrado em Estudos da Linguagem pela PUC-Rio e em Estudos Interculturais pela Universitat Rovira i Virgili. Tem 20 anos de experiência como tradutora e intérprete de conferências.