O 5G está chegando e vai mudar a sua vida

Também no Breakfast: bancos centrais dão mais previsibilidade aos mercados e bolsas iniciam jornada em alta; Boeing se junta a Musk na corrida pela banda larga vinda do espaço e lazer em ilhas é tendência no turismo pós-pandemia

Tempo de leitura: 3 minutos

Bom dia! Hoje é 4 de novembro de 2021 e este é o Breakfast - o seu primeiro gole de notícias do dia

Começa hoje, em Brasília, o leilão do 5G. Ao todo, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) já recebeu 15 propostas de empresas e consórcios interessados em explorar a tecnologia no país. É possível que o leilão só seja concluído na sexta. Conforme o edital, a licitação pode movimentar cerca de R$ 50 bilhões.

A expectativa é de que o 5G comece a ser ofertado até julho de 2022, primeiramente nas capitais brasileiras.

Por que isso é importante?

  • A tecnologia 5G promete uma forte mudança em relação à internet que está disponível hoje no Brasil para pessoas físicas e empresas. O principal diferencial é a velocidade da conexão e da transmissão de dados, que pode variar entre 30 e 100 vezes a mais do que a velocidade atual, conforme especialistas.
  • O 5G vai viabilizar uma nova geração de negócios e aplicações como conectividade de equipamentos das empresas e nas casas dos consumidores, a chamada Internet das Coisas, ou de aplicações de realidade virtual ou de realidade aumentada, além de possibilitar uma nova gama de serviços de comunicação instantânea por áudio e vídeo teoricamente sem a instabilidade da tecnologia atual.

Na trilha dos Mercados

As investidas dos bancos centrais ainda constituem a principal referência dos mercados, que repercutem a decisão de ontem do Federal Reserve (Fed) e o anúncio, marcado para hoje, do Bank of England (BoE).

As bolsas europeias iniciaram a jornada com valorização, já que estavam fechadas quando a autoridade monetária dos Estados Unidos sinalizou que o fim do programa de recompra de títulos não significa uma subida de juros iminente. Em Nova York, os futuros de índice, que ontem voltaram a marcar recordes, também mostravam alta generalizada. No fechamento do mercado asiático, predominou o azul.

PUBLICIDADE

Um futuro mais “previsível”

Os sinais das autoridades monetárias permitem aos investidores um maior previsibilidade sobre o rumo das taxas de juros.

🏦 O Fed optou por manter a taxa de juros americana no intervalo entre 0,0% e 0,25%. E já no fim de novembro reduzirá o ritmo mensal de compras de ativos em US$ 10 bilhões para títulos do Tesouro e US$ 5 bilhões para títulos lastreados em hipotecas. A mensagem mais destacada para o mercado de renda variável foi a de que o presidente Jerome Powell não considera que este seja o momento de subir os juros e que ainda há espaço para avançar no mercado de trabalho.

👷🏻‍♀️👷🏻 Falando em trabalho, ontem o ADP Research Institute apontou que as empresas norte-americanas agregaram a maior quantidade de postos de trabalho em quatro meses. As folhas de pagamento nas empresas subiram 571.000 no mês passado, contra uma expansão de 523.000 em setembro. O número supera – e muito – a previsão de uma alta de 400.000 de economistas consultados pela Bloomberg. Novos dados sobre emprego estão previstos para hoje.

✍🏼 O Banco Central Europeu também sinalizou que a economia ainda não reúne as condições que justificariam uma subida de juros em 2022. Um movimento desta natureza para 2022 seria “muito improvável”, segundo a presidente Christine Lagarde.

PUBLICIDADE

📣 O único que parece inclinado a subir juros no curto prazo é o Banco da Inglaterra. A expectativa dos analistas é de que o BoE eleve o custo do dinheiro já na reunião de hoje ou logo mais, em dezembro. Alguns analistas estimam que a autoridade monetária britânica poderá aplicar agora uma alta dos juros básicos, de até 10 pontos, para 0,20%. Outros esperam até um pouco, que a taxa suba a 0,25%.

No radar

  • No Brasil: Produção Industrial (9h de Brasília); PMI do Setor de Serviços e Composto Markit (10h00) Balanços: Banco ABC Brasil, Tegma, BR Properties, Burger King Brasil, Alper, Bradesco, Tenda, JHSF, Eneva, Engie Brasil e Minerva
  • Nos EUA: Pedidos de seguro-desemprego (9h30)

Outros destaques:

  • Reunião da OPEP+ sobre produção de petróleo
  • Banco da Inglaterra anuncia sua decisão sobre juros e programa de aquisição de títulos
  • Pagamentos no setor não-agrícola, amanhã (5)
  • Balanços: Moderna, Square, Airbnb, Uber, Duke Energy y Regeneron

Destaques da Bloomberg Línea

Também é importante

Opinião Bloomberg

Varejistas e empresas de bens de consumo estão prestes a ver o crescimento de suas vendas desacelerar à medida que a inflação diminui o poder de compra de seus clientes. Inflação significa comprar menos coisas que queremos. À medida que as pessoas gastam mais dinheiro nas coisas de que precisam, sobra menos para as coisas que desejam, como um novo par de sapatos, uma viagem ou um jantar fora.

Pra não ficar de fora

A maior procura por lazer em ilhas, uma das tendências da retomada do turismo pós-pandemia, cria uma demanda por voos diretos entre os centros urbanos e esses lugares paradisíacos distantes da costa, diante do desejo do viajante de encurtar distâncias e economizar tempo em seus deslocamentos.

No oceano Atlântico, o arquipélago de Fernando de Noronha, pertencente ao estado de Pernambuco, no Nordeste brasileiro, ganhou notoriedade por ser um destino preferido por celebridades, mas o acesso a essa joia do litoral brasileiro sempre foi difícil, por questões de preservação ambiental e por deficiências de logística. A partir do próximo dia 20 de dezembro, os turistas fãs de Noronha ganham voos diretos do aeroporto de Congonhas, na capital paulista, para a ilha.