PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Brasil segue crise de energia global com pressão nos mercados: Principal do dia

Breakfast: Alta do petróleo, receio com preços de grãos, Bolsonaro em viagem, Guedes e RCN em reunião e um bilhão de usuários no TikTok são os destaques

Mercados iniciam semana recheada de indicadores
28 de Setembro, 2021 | 09:07 am
Tempo de leitura: 3 minutos

Bloomberg Línea — Os mercados internacionais acionaram o modo da cautela nesta terça-feira (28) com preocupações pela escassez global de energia, que ameaça o início das estações frias do Hemisfério Norte, o abastecimento de petróleo na Europa e, aqui no Brasil, um possível racionamento por conta da crise hídrica pela qual o país passa.

O país, celeiro do mundo, também fica na mira dos investidores pela esperada safra mais fraca de grãos como soja e milho, que deve pressionar ainda mais a inflação global.

PUBLICIDADE

Veja mais: Disparo nos preços do petróleo adiciona volatilidade aos mercados internacionais

A crise global de energia levou o petróleo tipo Brent a superar a barreira dos US$ 80 por barril, pressionando também os prêmios dos bônus soberanos - o que deve, por sua vez, superar as ações da Petrobras e de outras petroleiras por aqui.

Falando na estatal, ontem, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o Brasil planeja privatizar a Petrobras dentro de uma década, como parte de um esforço mais amplo para tornar o país mais competitivo.

PUBLICIDADE

Na agenda do dia, o presidente Jair Bolsonaro viaja à Bahia para entrega de obras, enquanto Guedes participa de almoço com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. A ata do Comitê de Política Monetária do BC confirmou agora há pouco a intenção do grupo de mais um aumento de 1% da taxa Selic na próxima reunião, em outubro.

  • Futuros americanos operam mistos, com Dow Jones (-0,45%), S&P 500 (-0,86%) e Nasdaq (-1,51%)
  • Bolsas asiáticas fecharam mistas, com Tóquio/Nikkei 225 (-0,19%), Hong Kong/Hang Seng (+1,2%) e Xangai (+0,54%)
  • Por aqui, na segunda, o Ibovespa fechou em alta de 0,27%, aos 113.583 pontos. O dólar fechou em alta de 0,65%, a R$ 5,38.

Direto de Brasília (e outros lugares)

O Congresso derrubou uma vetos do presidente Jair Bolsonaro, entre eles o que proibia a formação de federações partidárias. A medida prevê fusão temporária de dois ou mais partidos por quatro anos. É de interesse de pequenos partidos depois do fim das coligações proporcionais.

Prevent Senior: o presidente da Assembleia Legislativa de SP, Carlão Pignatari (PSDB), recebeu o pedido de abertura de CPI contra a operadora, assinado por 33 deputados. Para abertura, o pedido tem de ser aprovado pelo plenário.

Tasso Jereissati (PSDB) desistiu de disputar a prévia do PSDB para apoiar o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, como pré-candidato a presidente. O senador cearense tem dito que também não pretende mais se candidatar a novo mandato ao Senado.

No Roda Viva, o ex-presidente Michel Temer negou que tenha feito lobby para a Huawei no leilão de 5G no Brasil. Temer disse que apenas escreveu um parecer para uma empresa de relações governamentais contratadas pela chinesa. O parecer é favorável à participação da Huawei no leilão.

O Brasil registrou 14.423 novos casos de Covid-19 e 210 mortes em 24 horas, segundo o Ministério da Saúde.

PUBLICIDADE

Enquanto você dormia

Em entrevista à Bloomberg Línea, a CEO do Grupo Fleury, a médica cardiologista Jeane Tsutsui, diz estar avaliando oportunidades de aquisição, em meio ao processo de consolidação dos players nacionais do setor de saúde, no segundo ano da pandemia da Covid-19. Ela também diz estar atenta a ativos em outros elos da cadeia e na área digital. Leia a entrevista inteira aqui.

As manchetes dos jornais:

  • Valor: Saneamento vive onda de projetos pós-nova lei do setor
  • Folha: Ministros do STF reclamam de campanha de Fux por Mendonça e temem volta do lavajatismo
  • Estadão: Alvo de Bolsonaro, passaporte da vacina avança em 249 cidades do País
  • O Globo: ‘Qualquer um que ganhar vai pegar o país em frangalhos’, diz Alfredo Setubal, acionista do Itaú
  • NYT: Pelosi Plans Infrastructure Vote as Safety Net Bill Remains Mired
  • WSJ: Stock Futures Slip as Bond Yields Hit Three-Month High
  • Washington Post: Senate GOP blocks bill that would fund government, stave off default

Agenda do dia

Indicadores Brasil: Ata do Copom (8h)

Indicadores EUA: Confiança do Consumidor CB (11h)

PUBLICIDADE
  • Jair Bolsonaro: Partida de Brasília/DF para Teixeira de Freitas/BA (8h); Cerimônia de Inauguração da Estação Cidadania, de Entrega de Títulos de Propriedades Rurais e de Anúncio de Duplicação da BR-116 e da BR-101 (10h30); Partida de Teixeira de Freitas/BA para Teotônio Vilela/AL (12h45); Cerimônia de Entrega do Residencial Dr. Marcelo Vilela (15h30); Partida de Teotônio Vilela/AL para Brasília/DF (17h10)
  • Paulo Guedes (Economia): Reunião com o procurador-geral da Fazenda Nacional, Ricardo Soriano (11h); almoço com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto (12h30); reunião com o presidente do BNDES, Gustavo Montezano (16h); lançamento da obra “Cirurgia Robótica (19h); V Fórum Nacional do Comércio - Tema central “Brasil em Pleno Crescimento” (19h30)
  • Roberto Campos Neto (Banco Central): Almoço com o Ministro da Economia, Paulo Guedes, o Secretário da Secretaria Especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, e o Secretário da Secretaria de Política Econômica, Adolfo Sachsida, no Ministério da Economia (12h30)

Pra não ficar de fora

O aplicativo chinês de vídeos TikTok atingiu ontem um bilhão de usuários, segundo a própria plataforma. Muito popular entre os Milleanials e a Geração Z, o aplicativo foi um dos mais rápidos da história a atingir a marca.

Tradução: Levou 5 anos para o TikTok atingir 1 bilhão de usuários, 7 anos para o Instagram, 8 anos para o Facebook. E o LinkedIn nunca vai atingir 1 bilhão de usuários.

A Bloomberg Línea também está no TikTok e você pode seguir o nosso perfil aqui. E nesse vídeo o nosso coordenador de Multimídia, Alan Blanco, mostra como os epidemiologistas reagiram às vendas bombásticas de ingressos do Rock in Rio - ainda com a pandemia no radar.

@bloomberglineabrasil

O retorno de grandes eventos ainda geram dúvidas em especialistas. ##Brasil ##RockinRio ##TikTokNotícias

♬ original sound - Funny Tiktoks

--Com colaboração de Michelly Teixeira

Ana Siedschlag

Ana Carolina Siedschlag

Editora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero e especializada em finanças e investimentos. Passou pelas redações da Forbes Brasil, Bloomberg Brasil e Investing.com.

Graciliano Rocha

Graciliano Rocha

Editor da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista formado pela UFMS. Foi correspondente internacional (2012-2015), cobriu Operação Lava Jato e foi um dos vencedores do Prêmio Petrobras de Jornalismo em 2018. É autor do livro "Irmã Dulce, a Santa dos Pobres" (Planeta), que figurou nas principais listas de best-sellers em 2019.

PUBLICIDADE