promo
Negócios

Gás natural tem maior valor em sete anos com temor de escassez

Os preços do combustível para aquecimento e geração de energia estão subindo globalmente, com baixos estoques na Europa e na Ásia, gerando temores de escassez à medida que o inverno se aproxima

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os preços do gás natural atingiram o maior patamar em sete anos nos EUA, à medida que o vencimento de opções de outubro adicionam ímpeto a um rali já alimentado pelas preocupações crescentes em relação a uma oferta fraca do combustível neste inverno.

O gás para entrega em outubro subiu 11%, no maior salto diário desde fevereiro, fixando-se em US$ 5,706 por milhão de unidades térmicas britânicas, um nível não visto desde o início de 2014. Os traders estavam fechando posições vendidas antes do vencimento das opções de outubro e de futuros nesta semana. As ações dos produtores de gás também dispararam em meio a ganhos mais amplos no mercado de energia, com a EQT Corp. subindo até 12% e a Southwestern Energy Co. com alta de 24%.

Os preços do combustível para aquecimento e geração de energia estão subindo globalmente, com baixos estoques na Europa e na Ásia, gerando temores de escassez à medida que o inverno se aproxima. Nos EUA, as interrupções no fornecimento relacionadas a tempestades aumentaram as preocupações sobre o crescimento lento da produção, já que os traders respondem aos pedidos dos investidores por contenção, tornando improvável que os produtores de xisto consigam socorrer o resto do segmento neste inverno.

“A commodity está sendo reavaliada em termos de seu valor”, disse John Kilduff, sócio-fundador da Again Capital. “Há uma grande demanda por ele em todo o mundo.”

O prêmio para o gás entregue em março em relação a abril - essencialmente uma aposta em quão apertado será o fornecimento do combustível no final do inverno - subiu para o maior patamar nesta época do ano desde 2005. Os estoques de gás dos EUA estão 6,9% abaixo do média dos últimos cinco anos, mostram os dados do governo, e o país está prestes a enviar mais cargas do combustível para o exterior à medida que uma nova capacidade de exportação entra em operação.

Cerca de 24% da produção de gás no Golfo do México dos EUA ainda está fechada após a chegada do furacão Ida, de acordo com o Bureau of Safety and Environmental Enforcement. As operações na região não devem se recuperar totalmente até o próximo ano.

Sem grandes aumentos de produção nos próximos meses e as fábricas voltadas para exportação operando perto de sua capacidade máxima com a forte demanda da Europa e da Ásia, “a percepção de uma escassez pode facilmente ser uma realidade se vermos um dezembro frio”, disse Dennis Kissler, um vice-presidente sênior da Bok Financial Securities. Ainda assim, o mercado pode estar pronto para uma “grande correção” se as temperaturas dos EUA entrarem em padrões sazonais, acrescentou ele.

Enquanto isso, os traders de gás estão pagando cada vez mais por contratos de opções para se proteger contra um aumento potencial de preço neste inverno. A volatilidade implícita - uma medida de preço das opções - saltou para um recorde de 107% nos contratos de fevereiro, ante 68% um mês atrás, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Vacina da Pfizer contra Covid é segura para adolescentes

Defensores da ivermectina elevam uso não comprovado para Covid

Presidente da Caixa testa positivo para Covid após viagem aos EUA