promo
Tech

OnlyFans abandona plano de banir conteúdo explícito

Decisão de reverter anúncio anterior veio em parte após pressão de “serviços bancários e de pagamento”, afirmou a empresa

Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O serviço de mídia social por assinatura OnlyFans afirmou que permitirá que os usuários continuem postando material sexualmente explícito, mudando o curso após um alvoroço de criadores e profissionais do sexo que passaram a contar com ele como fonte de renda.

O site anunciou na última semana que proibiria conteúdo explícito a partir de 1º de outubro, segundo a Bloomberg News, mudando em vez disso para um modelo que cada vez mais depende de ajudar as celebridades a se conectar com suas bases de fãs. A decisão veio em parte após pressão de “serviços bancários e de pagamento”, afirmou a empresa com sede em Londres.

Veja mais: OnlyFans decide proibir conteúdo sexualmente explícito, causando preocupação entre criadores

Em um tweet nesta quarta-feira (25), o OnlyFans disse que havia “viabilizado as garantias necessárias” e que não irá prosseguir com a mudança de política anteriormente anunciada. “OnlyFans representa a inclusão e continuaremos a fornecer um lar para todos os criadores”, afirmou a empresa.

Profissionais do sexo utilizam o OnlyFans para vender conteúdo explícito aos seus seguidores, e as celebridades se empilharam como uma forma de vender fotos e vídeos mais tradicionais para suas próprias bases de fãs. A empresa planejou permitir algumas fotos e vídeos nus mesmo após a proibição, mas isso deixou os criadores questionando onde o OnlyFans traçaria a linha entre o aceitável e o que viola suas regras.

A empresa mantém negociações para levantar novos fundos, com o valuation da empresa em mais de US$ 1 bilhão, segundo informação da Bloomberg News em junho.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

CCJ autoriza compra de terras agrícolas por empresa japonesa

Aqui está o que as empresas chinesas estão colocando em seus documentos para IPOs nos EUA

HSBC recomenda investir em emergentes abalados por temor com Fed