promo
Mercados

Representante dos projetos hoteleiros do Hard Rock no Brasil, incorporadora VCI fecha capital

Companhia diz que CVM aceitou a solicitação de cancelamento voluntário de registro de companhia aberta

Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — A incorporadora Venture Capital Participações e Investimentos (VCI) informou, nesta sexta-feira (20), que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) acatou, ontem (19), seu pedido de fechamento de capital, realizado no último dia 16. A companhia, que representa projetos hoteleiros da marca Hard Rock Café no Brasil, estava enquadrada na categoria B, que permite emissão de títulos de dívida e recebíveis.

Veja mais: Hard Rock aposta no apelo de Lionel Messi com latinos

Após quitar todas as debêntures com 28 meses de antecipação e recolher todos os papéis em circulação, a VCI continua sendo uma SA, mas com capital fechado. A estratégia foi possível pelo desempenho de vendas, geração de caixa e atual nível de carteira da companhia, o que permite seu desempenho financeiro sem financiamento público ou alavancagem na Bolsa de Valores”, citou a empresa em comunicado.

Veja mais: CVM mantém suspensos 7 registros de companhias

No começo do mês, a CVM havia informado que o registro da VCI estava suspenso por atraso no envio de resultados financeiros. Na ocasião, a assessoria de imprensa da companhia disse à Bloomberg Línea que a VCI tinha iniciado o processo de fechamento de capital.

Em nota à imprensa sobre o fechamento de capital, a VCI teceu críticas ao mercado de capitais no Brasil.

A bolsa brasileira tem realmente mais foco para commodities, empresas de internet ou empresas de varejo que possuem uma contabilidade mais simples e intuitiva e de fácil compreensão para os investidores e técnicos analistas”, citou a companhia.

O sócio controlador e presidente da VCI, Samuel Sicchierolli, também divulgou uma declaração.

“Existem poucos investidores para projetos em desenvolvimento ou venture capital. A contabilidade brasileira não entende e não captura, por exemplo, as aquisições de ‘distress asset’ e isso joga o valuation das empresas inovadoras para baixo. Se a empresa compra algo que vale 100 por 10, aqui no Brasil vale 10”, disse Sicchierolli.

Leia também

Mais uma empresa capixaba entra na fila para abertura de capital

Sete de doze ações de ‘tech’ valem menos que no IPO

Do grupo mineiro Ferroeste, Aço Verde do Brasil pede registro de companhia aberta

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.