PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Bolsa fecha em alta com exterior, mas mantém queda na semana com peso de tensões domésticas

Ibovespa acumulou queda de 2,59% na semana, com mais episódios de desentendimentos entre os Poderes e preocupações fiscais; o dólar subiu 2,5% no período

Falas de representante do Fed melhoraram humor das bolsas de NY e favoreceram mercado local na sessão de hoje (20)
20 de Agosto, 2021 | 06:24 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — O Ibovespa encerrou a sessão desta sexta-feira (20) em alta e o dólar em queda, após um dia de oscilações em que prevaleceu o bom humor do mercado externo. Apesar da bonança, a situação em Brasília continuou no radar.

  • A bolsa seguiu o movimento dos principais índices de Nova York, que fecharam em alta, com os investidores americanos avaliando comentários do presidente do Fed de Dallas, Robert Kaplan, que disse seguir acompanhando de perto os impactos da variante delta na economia e que está disposto a mudar suas visões sobre a política, caso haja mudanças no cenário.
  • Na cena local, os ganhos em ações da Vale (VALE3) potencializaram a valorização do índice. Outro destaque foi a disparada da Sabesp (SBSP3)
  • O câmbio oscilou mais e, no início da tarde, apagou as altas vistas pela manhã, ficando abaixo dos R$ 5,40. A moeda seguiu os ventos positivos vindos do exterior que impulsionaram a bolsa, ao mesmo tempo que contrabalançava as indefinições locais.
  • O impasse da reforma tributária e a tensão entre o poder executivo e o Supremo Tribunal Federal (STF) ainda preocupam o mercado. As taxas dos juros futuros pegaram carona e também caíram

Hoje, os negócios no mercado acionário também foram influenciados pelo vencimento de opções sobre ações na B3 e também nas bolsas de Nova York.

Na política doméstica, o destaque hoje foi o pedido de busca da Polícia Federal nas casas do cantor Sérgio Reis, do deputado Otoni de Paula e de outras oito pessoas, como parte de uma investigação sobre uma suposta tentativa de provocar protestos violentos contra o tribunal e o congresso nas comemorações do Dia da Independência.

À tarde, a notícia da Associated Press de que o presidente Jair Bolsonaro teria expressado irritação com a autonomia do Banco Central acendeu o alerta.

PUBLICIDADE
  • Câmbio: O dólar fechou em queda de 0,63%, a R$ 5,38. Apesar do recuo, na semana, a moeda acumulou alta de 2,5%
  • Bolsa: O Ibovespa fechou em alta de 0,76%, a 118.052 pontos. Na semana, a queda acumulada foi de 2,59%. Lideraram os ganhos em pontos da sessão NotreDame Intermedica (GNDI3), Ambev (ABEV3) e Sabesp (SBSP3). As ações do Bradesco (BBDC4), Itaú (ITUB4) e Natura&Co (NTCO3) foram destaques negativos.
  • Destaques da bolsa: Durante o pregão, as ações da Sabesp (Companhia de Saneamento do Estado de São Paulo) cravaram nova cotação máxima em 30 dias, após o novo secretário do Governo de São Paulo, o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia, indicar a privatização da empresa como uma prioridade
  • Juros: As taxas dos DIs caíram, seguindo o câmbio e ainda refletindo as falas do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, ontem. A taxa para janeiro de 2022 fechou em 6,7%, enquanto as para janeiro de 2025 em 9,56%
  • Bitcoin: No final do dia, a criptomoeda operava em alta de 4,32%, a US$ 46.666
  • Exterior: Em Nova York, o Dow Jones fechou em alta de 0,65%, o S&P 500, 0,81% e o Nasdaq, 1,19%

LEIA TAMBÉM

Representante dos projetos hoteleiros do Hard Rock no Brasil, incorporadora VCI fecha capital

Bain Capital planeja fundo de hedge focado em investimento verde

Vitol e Trafigura seguem com restrições para contratos no México

Do grupo mineiro Ferroeste, Aço Verde do Brasil pede registro de companhia aberta, mas descarta lançar IPO

Ações dos EUA atraem fluxo com ausência de alternativas de investimento

Igor Sodré

Igor Sodré

Jornalista com formação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, com experiência na cobertura de cultura e economia, tendo como foco mercado financeiro e companhias. Passou pela Bloomberg News e TradersClub.