PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Brasil

Bolsonaro mostra irritação com autonomia do Banco Central

Conforme a Associated Press, citando fontes ligadas ao governo, o presidente tem dito que gostaria da interferir na política monetária

Bolsonaro chegou a dizer que gostaria de substituir o presidente do Banco Central, conforme a AP citando fonte
20 de Agosto, 2021 | 05:28 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — O presidente Jair Bolsonaro tem expressado irritação com a autonomia do Banco Central, já que o aumento da inflação representa uma ameaça às suas perspectivas de reeleição em 2022, disseram funcionários do governo à Associated Press.

Na quinta-feira (19), durante um voo de volta para casa vindo do estado de Mato Grosso, Bolsonaro disse lamentar a assinatura do projeto de lei no início deste ano que concedeu autonomia à autarquia, disse à agência um alto funcionário que estava a bordo.

Separadamente, Bolsonaro em várias ocasiões recentes expressou desconforto com a autonomia e disse que gostaria de interferir na política monetária, disse à AP um ministro que ouviu tais reclamações. Ambos falaram sob condição de anonimato.

A autonomia do Banco Central foi aprovada em fevereiro como forma de proteger a autarquia de intromissões políticas e melhorar a credibilidade. O presidente ainda tem a autoridade de nomear o líder do BC, mas não a tem para demitir.

PUBLICIDADE

Veja mais em: Bolsonaro intensifica ataques ao Judiciário e eleva tensões

Bolsonaro, em 2018, deu garantias de que permaneceria sem intervenção na política econômica, e o mercado comemorou sua escolha para liderar o banco central: o economista Roberto Campos Neto, que iniciou um mandato fixo de quatro anos em abril.

Nas últimas semanas, a relação do chefe do Executivo com os líderes dos demais Poderes tem sido motivo de preocupação nos mercados, que temem que a subida de tom do presidente continue gerando ruídos.

O Planalto e o BC não responderam aos pedidos da AP para comentários sobre as declarações de Bolsonaro sobre a autonomia do banco central.

PUBLICIDADE

Veja mais: Campos Neto diz que tem observado muitos ruídos fiscais e em torno do Bolsa Família

A declaração de Bolsonaro sobre o arrependimento da autonomia do BC veio em resposta a comentários de Campos Neto, que reconheceu durante evento online do Conselho das Américas que o “ruído local” teve impacto nas expectativas de inflação para 2022.

Questionado a essa respeito, o presidente disse desejar que pudesse substituí-lo com uma canetada, segundo o oficial presente.

Leia também

Doria chama Bolsonaro de ‘criminoso’ que será julgado por tribunais

Estratégia eleitoral de Bolsonaro sacode mercado no Brasil

Portos do Arco Norte tornaram soja de MT mais barata que a dos EUA, diz Tarcísio

Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.