Mercados

Ibovespa perde os 120 mil pontos e dólar sobe, em dia de cautela no exterior e incertezas locais

Dados fracos da economia chinesa ditaram humor das negociações, com crise no Afeganistão e tensões em Brasília no radar

O Ibovespa somou dados fracos da China e conflitos no Afeganistão à tensão doméstica e ficou abaixo do patamar dos 120 mil pontos
16 de Agosto, 2021 | 06:19 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — O primeiro pregão da semana chegou ao fim com o Ibovespa no vermelho e o dólar em alta, em um dia de clima tenso no exterior e na cena política local. Ontem à noite, a China divulgou dados de indústria e varejo bem abaixo das estimativas do mercado. Os números derrubaram os índices asiáticos e, consequentemente, as principais bolsas do ocidente, que operaram no vermelho na maior parte do dia, entre elas a brasileira, que ficou abaixo dos 120.000 pontos e fechou no menor nível desde 4 de maio.

A situação preocupante na geopolítica, com o Taliban tomando o poder no Afeganistão, também pesou lá fora e aqui, impactando os preços do petróleo, que já caía digerindo os fracos dados chineses. No fim da tarde, o presidente americano Joe Biden fez um pronunciamento em rede nacional sobre a situação.

Os desentendimentos entre o presidente Jair Bolsonaro e os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e as incertezas fiscais também impactaram negativamente nos mercados, tanto a bolsa quanto câmbio e juros. No sábado, Bolsonaro disse que pediria o impeachment dos ministros Alexandre de Moraes e Luis Roberto Barroso. Em entrevista ao Valor, o ministro da Economia Paulo Guedes disse que o governo poderá ter que recorrer a um “shutdown”, com suspensão de funcionamento de órgãos públicos e até de salários, caso não aprove o parcelamento de precatórios.

Os investidores monitoram a última leva de balanços da temporada hoje à noite, com BRB, Boa Vista, Cruzeiro do Sul, Desktop, Gafisa, PetroReconcavo, GetNinjas, Espaçolaser, Hidrovias do Brasil, Jalles Machado, Yduqs e Mosaico.

  • Câmbio: Perto do fim do pregão, o dólar operava em alta de 0,22%, a R$ 5,26
  • Bolsa: O Ibovespa caiu 1,66%, a 119.180 pontos. Lideraram as perdas percentuais as ações da CVC (CVCB3), Embraer (EMBR3) e Via (VIIA3). As ações da Qualicorp (QUAL3), Bradespar (BRAP4) e CPFL (CPFE3) foram os destaques positivos
  • Destaques da bolsa: A companhia mineira Centro de Imagem Diagnósticos, criada em 2010 e que opera sob a marca Alliar Medicina Diagnóstica, viu sua ação ordinária (AALR3) disparar até 20,76%, cravando uma nova cotação máxima em 30 dias (R$ 11,40)
    • O motivo de liderar a lista de altas da B3 foi o anúncio feito pela Rede D’Or São Luiz de uma oferta pública voluntária de aquisição de ações (OPA) da Alliar, oferecendo um prêmio de 21,8% sobre o preço de fechamento do papel no último pregão e 12,6% acima do preço de fechamento médio ponderado por volume dos últimos 30 dias.
  • Juros: A curva de juros fechou em direções mistas, com a ponta longa refletindo mais as tensões políticas. O DI para janeiro de 2027 subiu de 9,820% para 10,020%, pela primeira vez acima dos 10%.
  • Exterior: Em Nova York, o Dow Jones subiu 0,31%, o S&P500 0,26% e o Nasdaq caiu 0,20%
  • Bitcoin: No fim do dia, a criptomoeda operava em queda de 1,12%, a US$ 45.788
  • Nas últimas horas:
Igor Sodré

Igor Sodré

Jornalista com formação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, com experiência na cobertura de cultura e economia, tendo como foco mercado financeiro e companhias. Passou pela Bloomberg News e TradersClub.