Tech

Mark Zuckerberg ‘perde’ US$ 24 bi após massacre em ações da Meta

Variação pode levar empresário para fora da lista das 10 pessoas mais ricas do mundo pela primeira vez desde julho de 2015

Zuckerberg
Por Scott Carpenter
02 de Fevereiro, 2022 | 08:50 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Mark Zuckerberg pode ver US$ 24 bilhões desaparecer de sua fortuna pessoal, numa das maiores perdas patrimoniais já vistas em um único dia, depois que os ganhos do quarto trimestre da Meta Platforms Inc. (FB) ficaram abaixo das estimativas.

A Meta não relatou crescimento de usuários mensais do Facebook no quarto trimestre em relação ao período anterior, levantando dúvidas sobre potencial de crescimento futuro da empresa. O preço das ações da Meta caíram cerca de 20% nas negociações do aftermarket nesta quarta-feira.

Se esse movimento se mantiver, pode deixar Zuckerberg, CEO da Meta, com um patrimônio líquido de cerca de US$ 97 bilhões, abaixo dos US$ 120,6 bilhões do fechamento do mercado nesta quarta-feira, segundo o Bloomberg Billionaires Index. Isso o levaria para fora da lista das 10 pessoas mais ricas do mundo pela primeira vez desde julho de 2015.

Uma redução patrimonial de US$ 24 bilhões em apenas um dia também figura entre as maiores de todos os tempos, rivalizando apenas pelas oscilações na fortuna de Elon Musk. A pessoa mais rica do mundo perdeu US$ 35 bilhões em um dia em novembro, com as ações da Tesla Inc. (TSLA) caindo após uma enquete no Twitter na qual Musk perguntou aos seguidores se deveria vender 10% de sua participação na empresa. Seu patrimônio pessoal líquido também caiu US$ 25,8 bilhões na semana passada.

PUBLICIDADE

Para a Meta, os resultados decepcionantes aumentam os desafios da empresa, que está no meio de uma série de disputas regulatórias. A companhia também procura justificar sua mudança estratégica de nome para apostar em uma internet imersiva conhecida como metaverso. Enquanto isso, outras plataformas como TikTok e YouTube estão ganhando terreno com usuários mais jovens.

--Com a ajuda de Jack Witzig.

Veja mais em bloomberg. com

Leia também

PUBLICIDADE