PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Semana com Fed, balanços de titãs e indicadores promete novas emoções

Futuros de índices iniciaram o dia em alta, mas movimento não durou; queda é pronunciada nas bolsas europeias

As variáveis que orientarão os mercados
24 de Janeiro, 2022 | 08:52 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Barcelona, Espanha — Se a semana passada foi tumultuada, prepare-se para novas emoções. Além de uma bateria de indicadores macroeconômicos e balanços de pesos-pesados, esta semana o Federal Reserve (Fed) arbitra sobre o rumo de sua política monetária.

Ainda que os investidores aproveitem algum momento do dia para comprar, já que a forte queda dos índices acionários na semana passada criou oportunidades a baixo preço, a cautela deverá predominar.

PUBLICIDADE

No início do dia, os futuros de índices nos Estados Unidos subiram, movimento que se desfez e deu lugar a uma queda. Na Europa, a desvalorização nas bolsas é pronunciada. Os títulos do Tesouro norte-americana recuam, direção que também é seguida no mercado de petróleo. O ouro, no entanto, sobe. E o bitcoin tem forte recuo.

📈 O sinal é de alta dos juros – o Fed começa amanhã sua reunião e na quarta-feira deverá sinalizar uma elevação nas taxas a partir de março. Também deve confirmar a redução de seu balanço patrimonial ainda este ano. O fim da era de apoio monetário, criado para revigorar a economia durante a pandemia, leva os investidores a repensar sobre as perspectivas econômicas e de mercado.

• Porém, a história indica que 2022 provavelmente terminará com um pé melhor do que começou. As ações dos EUA historicamente tiveram um bom desempenho durante os períodos em que o Fed elevou as taxas, já que uma economia em crescimento tende a apoiar o aumento dos lucros corporativos e o mercado de ações.

PUBLICIDADE

🪖 Invasão iminente? – A escalada nas tensões geopolíticas acende um sinal de alerta. Os Estados Unidos deram ordem aos familiares do corpo diplomático na Ucrânia de abandonar o país, deixando antever uma iminente invasão das tropas russas. O Departamento de Estado também recomendou que os cidadãos norte-americanos deixem o país, afirmando que as condições de segurança na região são imprevisíveis e que podem se deteriorar a qualquer momento.

📌 Balanços de titãs – Os resultados financeiros corporativos serão um componente vital para os mercados nesta semana. Saem os números de gigantes como Apple, Microsoft e Tesla, para citar alguns exemplos. Aproximadamente 100 companhias do S&P 500 publicarão seus balanços esta semana.

De resto, uma série de dados macroeconômicos de grande relevância também influenciará as decisões de compra e venda nos mercados.

Leia também o Breakfast, uma newsletter da Bloomberg Línea: Quer empreender em 2022?

Reunião do Fed sobre juros, balanços, indicadores macroeconômicos... a semana promete muita agitaçãodfd

🟢 As bolsas na sexta-feira: Dow (-1,30%), S&P 500 (-1,89%), Nasdaq (-2,72%), Stoxx 600 (-1,84%), Ibovespa (-0,15%)

O movimento de queda se ampliou à medida que se reforçam a expectativa de aperto monetário pelo Fed. As apostas convergem para ao menos menos três aumentos de taxas este ano.

Na agenda

  • PMIs para a EUA, Zona do Euro, França, Alemanha, Reino Unido, Japão e Austrália
  • Balanço: IBM

Terça-feira, 25

PUBLICIDADE
  • Índice Ifo de Clima de Negócios - Alemanha (jan)
  • CPI da Austrália - Brasil: Confiança do Consumidor FGV (jan)
  • EUA: Índice de Preços de Imóveis (nov)
  • Balanços: Microsoft, General Electric, Moderna, Texas Instruments, Johnson & Johnson, American Express

Quarta-feira, 26

  • Decisão de juros do Federal Reserve e entrevista coletiva do presidente Jerome Powell
  • Decisão da taxa de juros do Banco do Canadá
  • Relatório de estoque de petróleo bruto da EIA
  • Balanços: Tesla, Abbott Laboratories, Intel, AT&T, Boeing
  • Brasil: IPCA-15

Quinta-feira, 27

  • EUA: Dados de crescimento do PIB no quarto trimestre, além de pedidos iniciais de seguro-desemprego e bens duráveis
  • Balanços: Apple, Visa, Mastercard, Comcast, McDonald’s, SAP, Samsung Electronics

Sexta-feira, 28

PUBLICIDADE
  • EUA: Renda do consumidor, sentimento do consumidor da Universidade de Michigan
  • Balanços: Chevron, Caterpillar

Leia também:

Estes foram os principais fundos de hedge do mundo em 2021

Fauci diz que surto de ômicron nos EUA está ‘indo na direção certa’

O que a guerra na Ucrânia significa para a crise de energia da Europa?

-- Com informações de Bloomberg News

Michelly Teixeira

Michelly Teixeira

Jornalista com mais de 20 anos como editora e repórter. Em seus 12 anos de Espanha, trabalhou na Radio Nacional de España/RNE e colaborou com a agência REDD Intelligence. No Brasil, passou pelas redações do Valor, Agência Estado e Gazeta Mercantil. Tem um MBA em Finanças, é pós-graduada em Marketing e cursa um mestrado em Digital Business na Esade.

PUBLICIDADE