+ Mercado Bitcoin

O que 2022 reserva para as criptomoedas (Parte 1)

Especialistas envolvidos com os maiores projetos em valor de mercado falam sobre as mudanças previstas para o ano

Ethereum se prepara para a integração efetiva da versão 2.0 à plataforma já existente
Tempo de leitura: 2 minutos

Por Gino Matos para Mercado Bitcoin

São Paulo — O volume de negociação com criptomoedas registrou aumento significativo em 2021, com plataformas descentralizadas e centralizadas exibindo crescimento de três dígitos percentuais e rompendo recordes. O maior número de participantes deve gerar mudanças no mercado de criptomoedas, em 2022.

Em uma série de duas reportagens, publicadas entre hoje e amanhã, especialistas dos protocolos Ethereum, Cardano, Polygon, Solana e Polkadot falarão sobre as principais novidades esperadas para o ano. Ethereum e Cardano são o destaque desta segunda-feira.

O Ethereum e a “fusão”

O Ethereum, segunda maior moeda digital do mundo, com valor de mercado avaliado em cerca de US$ 450 bilhões, deve começar, em 2022, a última etapa para integrar sua versão 2.0, conhecida como “a fusão”. Solange Gueiros, desenvolvedora em blockchain, explica que a fusão é a integração da plataforma atual do Ethereum na rede principal do Ethereum 2.0, chamada de beacon chain.

“Será o fim do consenso por Prova de Trabalho no Ethereum, com a transição total para Prova de Participação”, explica Solange. Embora o Ethereum 2.0 tenha sido ativado em dezembro de 2020, diversos procedimentos foram necessários para migrar a estrutura atual para o modelo de consenso em Prova de Participação, já que se trata de uma mudança nos fundamentos do projeto.

De forma simplificada, a Prova de Participação escolhe aleatoriamente qual integrante da blockchain validará um bloco, sendo necessário manter 32 Ethereum alocados em um contrato inteligente para se tornar um validador da rede. A Prova de Trabalho, por sua vez, cria um sistema de competição onde quem tem a maior capacidade computacional terá a maior parte das recompensas por validar um bloco.

Em outras palavras, o consenso por Prova de Participação exige consideravelmente menos energia, ao mesmo tempo em que é possível aumentar a capacidade da blockchain. Alexandre Van de Sande, primeiro brasileiro a fazer parte da Fundação Ethereum, avalia que a migração total para o Ethereum 2.0 tornará o protocolo novamente “competitivo” em relação aos concorrentes.

A explosão da Cardano

A Cardano chamou atenção no primeiro semestre de 2021 pela forte valorização, acima de 1.300%. Como resultado, o número de investidores atentos à moeda e a seus próximos desenvolvimentos também cresceu.

Marcus Vinicius, embaixador da Cardano no Brasil, afirma que o protocolo se voltará à descentralização do projeto em 2022. Ele explica que as fases de desenvolvimento da criptomoeda se dividem em eras, que recebem nomes de figuras clássicas famosas.

Neste ano, Bashō e Voltaire, eras inspiradas no famoso poeta japonês e no filósofo iluminista francês, respectivamente, receberão maior atenção. “Espero evolução de trabalhos em áreas como a solução de escalabilidade Hydra, além de desenvolvimentos envolvendo governança, DAO [organizações autônomas descentralizadas], sistemas de votação e aplicações descentralizadas [dApps]”, diz Vinicius.

O foco no ambiente descentralizado tende a impulsionar as finanças descentralizadas (DeFi, na sigla em inglês) da Cardano, com o lançamento de grandes exchanges descentralizadas, diz. Além disso, a interoperabilidade com tokens da rede Ethereum pode ser outro importante avanço em DeFi do protocolo, em sua visão.

Os desenvolvedores da rede Cardano também poderão ser beneficiados com possíveis melhorias em scripts de programação, como o dApp Connector. “O dApp Connector é um componente utilizado para que dApps interajam com a blockchain, atualmente já implementado em carteiras da comunidade, como a Nami Wallet, e que deve ser integrado à Yoroi, carteira oficial do projeto, este ano”, acrescenta.

Na segunda reportagem, nesta terça-feira, especialistas trazem as previsões de mudanças para as blockchains Solana, Polygon e Polkadot.

Mercado Bitcoin

Mercado Bitcoin

A maior plataforma de criptomoedas da América Latina