O fantasma da inflação assombra os EUA

Também no Breakfast: mercados dormem e acordam com dúvida sobre transitoriedade da inflação; ações da brasileira CI&T sobem mais de 20% em estreia na bolsa de NY e o que o Brasil pode aprender sobre regulação ESG com a Europa

Tempo de leitura: 3 minutos

Bom dia! Hoje é 11 de novembro de 2021 e este é o Breakfast - o seu primeiro gole de notícias do dia

“É mais fácil para você sair e comprar coisas nas lojas do que há quatro anos?” Ronald Reagan perguntou dias antes de sua vitória na eleição presidencial de 1980. Essa simples questão surge como um fator decisivo na eleição para o Congresso do ano que vem.

PUBLICIDADE

A inflação está agora atingindo seu ponto mais alto em uma geração, com um relatório na quarta-feira mostrando que os preços ao consumidor subiram 6,2% ao ano em outubro. Quase todos os analistas econômicos esperam que esfrie no próximo ano, mas a questão-chave para o presidente Joe Biden e os democratas no Congresso é com que rapidez e quanto.

 Inflação deve pressionar eleições legislativas de 2022dfd
  • Enquanto Biden argumenta que a inflação será puxada para baixo por sua próxima conta de gastos sociais de US$ 1,75 trilhão, junto com um plano de infraestrutura de US$ 550 bilhões que ele assinará em breve, os republicanos estão martelando exatamente o argumento oposto: o dinheiro distribuído pelo do governo está elevando os preços. Até mesmo alguns democratas estão ecoando as preocupações fiscais do Partido Republicano, complicando as perspectivas para o pacote legislativo pendente.
  • O que está em jogo na rapidez com que a inflação recua e no debate sobre a causa e o remédio para a escalada de preços é o controle do Congresso. Nas eleições de meio de mandato de novembro que vem, a pequena maioria dos democratas de ambas as Câmaras estará em disputa. É efetivamente a primeira eleição nacional em que a inflação será uma questão importante desde a vitória de Reagan sobre o presidente Jimmy Carter.
  • “Nunca registramos tantas pessoas falando sobre altos preços de residências ou de eletrodomésticos ou de TV”, disse Richard Curtin, que supervisiona a Pesquisa de Opinião do Consumidor da Universidade de Michigan, um indicador-chave das atitudes domésticas.

Na trilha dos Mercados

O mercado financeiro dormiu e acordou com a pergunta do milhão: até quando os bancos centrais sustentarão o argumento de que a alta da inflação é pontual?

O forte avanço dos preços ao consumidor nos Estados Unidos - que em outubro subiram ao maior passo em mais de 30 anos - deu o que pensar, mas os mercados ainda parecem em dúvida sobre que caminho seguir.

Ontem, as bolsas norte-americanas fecharam todas no vermelho – S&P 500 (-0,82%), Dow (-0,66%) e Nasdaq (-1,66%). Porém, na Europa as principais bolsas se descolaram de Wall Street e fecharam com valorização.

Com relação ao mercado de bônus, que responde diretamente aos prognósticos sobre os juros básicos, ontem seus prêmios subiram tanto nas praças financeiras europeias como em Wall Street – neste último com mais ímpeto. As curvas das taxas de juros perderam algo de inclinação, o que supõe que o mercado está ponderando um menor crescimento econômico no futuro. Hoje, o mercado de títulos da dívida dos EUA estará fechado pelo Dia dos Veteranos

💸 Não é de hoje que a inflação está apertando o passo. Esta foi a sexta vez nos últimos oito meses que o índice se situou acima da estimativa de consenso da Bloomberg, com um aumento de +0,9% na comparativa mensal – frente a projeções de +0,6% dos economistas.

Um retrato dos principais mercados esta manhãdfd

Como reagem os investidores

Quanto à jornada de hoje, tanto as bolsas europeias como os futuros de índices em Nova York abriram em alta, ainda que se nota um certo “cambaleio” das cotações.

Em situações como estas, quando há pouca clareza sobre as investidas das autoridades monetárias e a economia se vê ameaçada de diferentes maneiras (escassez de commodities, crise energética, gargalos nas cadeias de abastecimento...), o mais normal é que os investidores se dirijam a opções mais defensivas. Mas tudo depende se o argumento de transitoriedade da inflação continuará ressoando entre os operadores.

Na Ásia, as ações chinesas subiram diante das especulações de que as autoridades procurarão aliviar a crise de liquidez dos empreendedores imobiliários em dificuldades.

Em tempo

  • A notícia de destaque da manhã foi que a economia do Reino Unido cresceu mais fortemente do que o esperado em setembro, após um aumento nas indústrias de serviços e construção. O Produto Interno Bruto subiu 0,6% em relação a agosto, melhor que a expansão de 0,4% prevista pelos economistas.
  • O crescimento do terceiro trimestre foi apenas ligeiramente mais fraco do que a última previsão do Banco da Inglaterra, o que pode reforçar as expectativas de que a banco central aumente os juros no próximo mês para controlar uma inflação em rápida aceleração.

No radar

No Brasil:

  • Vendas no Varejo (9h de Brasilia)

No exterior:

  • O Comitê Central do Partido Comunista da China dá sequência a reunião que termina hoje
  • Taxa de desemprego da China
  • PIB do Reino Unido (3Tri21)
  • A China realiza seu Dia Solteiros, o maior festival de compras do mundo, quando gigantes do comércio eletrônico como Alibaba e JD.com Inc. atraem compradores com pechinchas
  • O mercado de títulos da dívida dos EUA fecha pelo Dia dos Veteranos

Destaques da Bloomberg Línea

Também é importante

Opinião Bloomberg

Existe uma vacina que protege meninos e meninas contra o câncer: A velocidade com que as vacinas contra Covid-19 interromperam as mortes renovou o foco no milagre (e na ciência) da inoculação. As pessoas costumavam torcer por uma vacina contra o câncer. Espera aí, nós já temos uma. E agora um grande estudo comprovou sua eficácia.

dfd

Pra não ficar de fora

Um apartamento em Hong Kong foi vendido por 640 milhões de dólares de Hong Kong (US$ 82,2 milhões), o que o torna o mais caro por metro quadrado da Ásia em mais um sinal de resistência do mercado imobiliário de luxo da cidade.

A Wharf Holdings e a Nan Fung Development venderam um apartamento em Mount Nicholson, um dos projetos de luxo mais emblemáticos da cidade, por 140.800 dólares de Hong Kong por pé quadrado (cerca de 0,1 m²), segundo as empresas. O apartamento em Peak, área residencial de luxo na Ilha de Hong Kong, possui três vagas de estacionamento e mede 4.544 pés quadrados (442 m²).

Cidade já possui o mercado imobiliário mais caro do mundo e agora abriga o apartamento mais caro da Ásia dfd