PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

O principal do dia: Exterior positivo em dia de PMIs; crise hídrica assombra Brasil

Breakfast: Bolsas internacionais avançavam no 1º dia de setembro, enquanto investidores locais observam riscos inflacionários da pior seca dos últimos 91 anos

Mercados no exterior avançam no primeiro dia de setembro
01 de Setembro, 2021 | 08:58 am
Tempo de leitura: 2 minutos

O primeiro dia de setembro começa em tom positivo nos mercados internacionais, com investidores mirando em dados da economia americana e chinesa para uma avaliação dos sinais de retomada nos últimos meses do ano. Mais cedo, o PMI industrial chinês ficou levemente abaixo da última leitura, confirmando outros indicadores da semana de que a recuperação do gigante asiático está mais lenta que o esperado.

  • Na Europa, os PMIs vieram, no geral, acima do esperado. Os EUA divulgam o dado às 10h45, logo após o Brasil, que também solta hoje o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre.

Por aqui, o risco de um apagão na energia elétrica aumenta à medida que especialistas alertam para os baixíssimos níveis de reservatórios e de chuvas pelo país. Ontem, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, fez um pronunciamento em rede nacional afirmando que a crise hídrica se agravou e que o país está passando pela pior seca dos últimos 91 anos.

PUBLICIDADE
  • Futuros americanos em alta, com Dow Jones (+0,3%), S&P 500 (+0,33%) e Nasdaq (+0,21%).
  • Bolsas asiáticas fecharam em alta: Tóquio/Nikkei 225 (+1,29%), Hong Kong/Hang Seng (+0,58%) e Xangai (+0,65%)
  • Por aqui, Ibovespa fechou em queda de 0,8%, a 118.081 pontos, enquanto o dólar fechou em queda de 0,56%, a R$ 5,15.
  • Bitcoin valendo US$ 47.577 (+0,41%) agora pela manhã

Direto de Brasília (e outros lugares)

O Tribunal de Justiça do Rio determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos). A informação foi antecipada pelo site G1. Dentro do Planalto, o maior temor era que o filho 02 fosse alvo do inquérito das Fake News que corre no STF. No Rio, o foco de suspeitas são “rachadinhas” – o desvio de parte dos salários dos funcionários do gabinete do vereador no Rio.

O presidente participou ontem de uma motociata em Uberlândia (MG) durante horário de expediente e declarou que as manifestações de 7 de Setembro seriam a oportunidade para o país se tornar “independente” de fato.

Após a Fiesp adiar a divulgação do manifesto em favor do equilíbrio entre os Poderes, a Federação das Indústrias de Minas Gerais soltou documento criticando decisão do STF que interrompeu financiamento aos sites bolsonaristas em plataformas de redes sociais.

PUBLICIDADE

No Congresso, Arthur Lira (PP-AL) tentou pautar a reforma do imposto de renda ontem à noite, mas não houve acordo para votá-la.

A proposta de Lei Orçamentária Anual apresentada ontem prevê um salário mínimo de R$ 1.169 para 2022, calculado com base em inflação anual de 6,2% (com crise hídrica, as previsões é que inflação ultrapasse 8%).

Na proposta, governo prevê a não concessão de reajuste para servidores e o pagamento integral dos R$ 89 bilhões em precatórios. A conferir: também está sendo uma negociada uma limitação no pagamento deste tipo de despesa via Conselho Nacional de Justiça.

Manchetes dos jornais

  • Governo usa Eletrobras para aliviar alta da luz (Valor)
  • Empresário amigo de Barros fez delação para pagar R$ 3 mi em troca de perdão judicial (Folha de S.Paulo)
  • Motoboy que fazia saques para empresa investigada esteve no Ministério da Saúde, mostram registros com CPI da Covid (O Globo)
  • Cúpula da Petrobras passa por ‘militarização’ após chegada de Silva e Luna (O Estado de S.Paulo)
  • Spurning Criticism, Biden Calls Evacuation ‘Extraordinary Success’ (New York Times)
  • U.S. Exit From Afghanistan Shifts Global Power Balance (Wall Street Journal)
  • ‘I was not going to extend this forever war,’ president says (Washington Post)

Na Bloomberg Línea

A companhia aérea Latam Brasil informou, nesta terça-feira (31), que não está à venda e que ainda prepara seu plano de reorganização para sair de recuperação judicial ainda neste ano. A Azul demonstra interesse em adquirir a operação brasileira. A expectativa do mercado é que a Latam apresente esse plano no dia 15 de setembro.

Agenda do dia

  • Indicadores Brasil: PIB 2T (9h); PMI Industrial (10h); Fluxo cambial (14h30); Balança comercial (15h)
  • Indicadores EUA: Pedidos de hipoteca (8h); PMI Industrial (11h); Gastos de construção (11h); Estoques de petróleo bruto (11h30)
  • Paulo Guedes (Economia): Reunião com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque; Despacho com o secretário Especial de Desestatização, Desinvestimentos e Mercado, Diogo Mac Cord; Encontro da Frente Parlamentar pelo Brasil Competitivo; Despacho com o secretário Especial de Produtividade e Competitividade, Carlos Da Costa; Reunião com o secretário Especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal; Audiência com a deputada federal Alê Silva (PSL/MG); Audiência com o deputado federal Jerônimo Goergen (PP/RS).
  • Roberto Campos Neto (BC): Audiência pública na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados; Reunião com o Ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni

Leia também:

Orçamento para 2022 não consegue dissipar incerteza fiscal

PUBLICIDADE

Chile surpreende com o maior choque de juros em duas décadas

Spac assessorada por ex-Citi planeja IPO de US$ 200 milhões


PUBLICIDADE



Ana Siedschlag

Ana Carolina Siedschlag

Editora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero e especializada em finanças e investimentos. Passou pelas redações da Forbes Brasil, Bloomberg Brasil e Investing.com.

Graciliano Rocha

Graciliano Rocha

Editor da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista formado pela UFMS. Foi correspondente internacional (2012-2015), cobriu Operação Lava Jato e foi um dos vencedores do Prêmio Petrobras de Jornalismo em 2018. É autor do livro "Irmã Dulce, a Santa dos Pobres" (Planeta), que figurou nas principais listas de best-sellers em 2019.

PUBLICIDADE