Recompras de ações atingem recorde. O que isso indica sobre a visão das empresas

Empresas nos EUA e na Europa anunciam novos programas, que levam ao segundo melhor início de ano já registrado; estratégia ajuda a sustentar os preços de ações e as bolsas

Lista de más grandes recompras de acciones de la historia.
Por Jessica Menton, Elena Popina e Michael Msika
08 de Fevereiro, 2024 | 02:49 PM

Bloomberg — Lucros mais fortes do que o esperado estão levando empresas nos Estados Unidos e na Europa a anunciar recompras de ações em um ritmo acelerado à medida que 2024 se inicia - um pilar potencialmente crucial de apoio para os mercados de ações globais, que já estão operando em máximas históricas.

Diante dos mais altos custos de empréstimos em décadas, empresas se tornaram mais criteriosas com as recompras de ações em 2023, mas isso está mudando, com essa estratégia projetada para aumentar neste ano.

O aumento dos lucros está melhor e os investidores esperam que o Federal Reserve e o Banco Central Europeu (BCE) comecem a reduzir as taxas de juros neste ano. Os custos de empréstimos reduzidos devem fornecer às empresas mais dinheiro e margem para assumir dívidas para impulsionar seus preços de ações.

LEIA +
Localiza: os riscos aos negócios que entraram no radar de bancos de Wall Street

As empresas dos EUA anunciaram US$ 105 bilhões em recompras de ações planejadas nos primeiros sete dias de fevereiro, superando o total do mês inteiro de janeiro. É o melhor começo de fevereiro já registrado para recompras anunciadas e o segundo melhor início de ano após 2023, conforme dados da empresa de pesquisa Birinyi Associates. Talvez não seja surpreendente que o índice S&P 500 tenha subido 3,1% nos primeiros oito dias deste mês.

PUBLICIDADE

“Isso mostra que a administração está ficando mais confiante sobre para onde a economia está indo”, disse Matt Maley, estrategista-chefe de mercado da Miller Tabak + Co. “Deve ser visto como um indicador construtivo. As ações não estão tão baratas quanto no ano passado, mas as empresas que anunciam recompras pensam que o rali tem mais espaço para continuar.”

As empresas do S&P 500 devem recomprar o equivalente a US$ 885 bilhões em ações neste ano, um aumento de 10% em relação a 2023, mas uma queda de 4% em relação ao ritmo recorde estabelecido em 2022, de acordo com dados preliminares do S&P Dow Jones Indices.

A Meta Platforms anunciou na semana passada planos para recomprar mais US$ 50 bilhões em ações, uma das maiores autorizações na história dos EUA, conforme mostram os dados da Birinyi. Isso foi seguido pelo Carlyle Group na quarta-feira (7), anunciando planos para recomprar até US$ 1,4 bilhão em ações, e a Alibaba Group Holding dizendo que vai aumentar seu programa de recompra em US$ 25 bilhões.

PUBLICIDADE

“Embora o mercado esteja em máximas históricas, os preços das ações de muitas empresas continuaram a estagnar e, como resultado, recomprar as ações é uma indicação dessas empresas de que veem suas ações como um bom valor”, disse Jeff Rubin, diretor de pesquisa da Birinyi.

Empresas nos EUA já anunciaram o equivalente a US$ 155 bilhões em programas de recompras de ações neste ano de 2024 até o dia 7 de fevereiro (evolução da série histórica até esse dia do ano na última década)dfd

A gigante do entretenimento em dificuldades Walt Disney anunciou na quarta-feira uma recompra de ações de US$ 3 bilhões, sua primeira desde 2018, e disse que aumentaria seu dividendo. As ações da empresa subiram mais de 21% neste ano e 14% desde o início de fevereiro.

Embora as recompras possam ajudar no desempenho das ações, o impacto pode ser um pouco reduzido porque os valuations elevados significam que as empresas provavelmente comprarão menos ações, disse Howard Silverblatt, analista sênior de índices da S&P Dow Jones Indices. Além disso, os gastos não são necessariamente tão grandes quando medidos em relação aos ganhos e aos valores de mercado das empresas, acrescentou.

Os anúncios de recompra aumentaram também na Europa, especialmente nos setores financeiro e de energia, que devolveram mais aos acionistas no ano passado. Com os bancos continuando a colher os benefícios dos custos mais altos de empréstimos, os programas de recompra de ações dos italianos Unicredit e Intesa Sanpaolo, do alemão Deutsche Bank e do espanhol Banco Bilbao Vizcaya Argentaria estão impulsionando as ações.

Retorno de ações ganham reforço de programas de recompra anunciados por empresas na Europadfd

Um conjunto de ações de alto rendimento de recompra do Goldman Sachs subiu duas vezes mais nos últimos 12 meses do que o retorno de 5,9% do Índice Stoxx Europe 600, enquanto o Índice Europeu de Recompra da Solactive também avançou 10% durante o período.

Tudo isso é um bom sinal para a economia global e os mercados, pois um forte pipeline de recompras planejadas mostra confiança entre os executivos corporativos, disse Marshall Front, diretor de investimentos da Front Barnett Associates.

“A economia continua a melhorar, as pressões inflacionárias, a diminuir, as taxas de juros seguirão em queda - e tudo isso oferece aos executivos corporativos a confiança de que precisam para anunciar recompras de ações”, disse Front por telefone, referindo-se aos EUA. “Isso significa que as empresas não esperam uma grande recessão econômica.”

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Para a BlackRock, otimismo com ações dos EUA deve persistir

Zuckerberg receberá US$ 700 mi no primeiro pagamento de dividendos da Meta

Resultados de big techs evidenciam o desafio de atender às elevadas expectativas