Zuckerberg receberá US$ 700 mi no primeiro pagamento de dividendos da Meta

CEO e cofundador da big tech será o principal beneficiário da decisão rara para empresas de alto crescimento, anunciada junto com os resultados do quarto trimestre

El Comité Judicial del Senado celebra una audiencia con los CEOs de las grandes tecnológicas
Por Alex Barinka - Jack Witzig
02 de Fevereiro, 2024 | 11:28 AM

Bloomberg — O CEO da Meta Platforms (META), Mark Zuckerberg, está prestes a receber um pagamento de cerca de US$ 700 milhões do primeiro pagamento de dividendos para investidores da gigante das redes sociais.

A Meta anunciou um dividendo trimestral de US$ 0,50 por ação para as ações comuns Classe A e B a partir de março.

Como Zuckerberg detém cerca de 350 milhões de ações, ele levaria para casa cerca de US$ 175 milhões em cada pagamento trimestral antes dos impostos, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

A decisão da Meta de pagar um dividendo envia um sinal sobre a visão da empresa em relação ao seu potencial de crescimento.

PUBLICIDADE

Frequentemente, empresas de tecnologia em rápido crescimento evitam pagamentos de dividendos em favor de usar os lucros para desenvolver novos produtos ou realizar aquisições caras.

Enquanto a Meta investe pesado em iniciativas de inteligência artificial, suas perspectivas de aquisição estão diminuindo diante da oposição regulatória.

Após a demissão de cerca de 21.000 pessoas pela Meta e a definição de suas prioridades, as ações quase triplicaram de valor em 2023.

PUBLICIDADE

O novo dividendo e uma recompra adicional de US$ 50 bilhões em ações podem conquistar mais paciência dos investidores com as apostas de longo prazo de Zuckerberg em inteligência artificial e metaverso.

Zuckerberg recebeu US$ 27,1 milhões como remuneração total em 2022, incluindo custos com segurança privada e um salário base de US$ 1, segundo registros. A Meta ainda não divulgou a compensação executiva do ano passado.

Um porta-voz da empresa se recusou a comentar.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Lucro da Apple supera o esperado, mas vendas na China decepcionam analistas

Sem sonho da casa própria, geração Z prioriza desejos e gastos com luxo