Resultados de big techs evidenciam o desafio de atender às elevadas expectativas

Enquanto a Meta teve ganho expressivo após a divulgação do balanço, Tesla e Apple decepcionaram investidores e perderam valor de mercado nos dias subsequentes

Apple voltou a ter crescimento de receita, mas a demanda na China foi mais fraca do que se temia e isso afetou o sentimento de investidores
Por Farah Elbahrawy
05 de Fevereiro, 2024 | 11:43 AM

Bloomberg — As sete gigantes de tecnologia vão precisar gerar lucros excepcionais para manter seu desempenho superior ao do mercado mais amplo, segundo um número crescente de estrategistas de Wall Street.

O grupo composto por Apple (AAPL), Microsoft (MSFT), Nvidia (NVDA), Alphabet (GOOGL), Amazon (AMZN), Meta (META) e Tesla (TSLA) dobrou de valor em 2023 e superou em muito a alta de 54% do índice Nasdaq 100. A maioria delas estendeu os ganhos neste ano, com exceção de Tesla e Apple.

O otimismo com uma economia mais forte do que o esperado, o aparente fim do aperto monetário e a inteligência artificial ajudaram a impulsionar as ações. Mas os investidores questionam se os ganhos poderão ser sustentados em 2024. A Tesla recuou 24% neste ano, enquanto a Meta subiu 34%.

“Como mostrou o boom das pontocom, o desempenho superior contínuo exige que ações excedam o padrão elevado estabelecido pelo consenso”, disse uma equipe do Goldman Sachs liderada por David Kostin. Isso “dependerá da capacidade de proporcionar um rápido crescimento de receitas em 2024”.

PUBLICIDADE

A equipe de estrategistas salientou uma divergência nas perspectivas de crescimento. Enquanto o consenso é que a receita da Nvidia saltará 119% em relação ao ano anterior, a receita da Alphabet deverá cair 7%, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

Os estrategistas da Berenberg preferem exposição a algumas das sete ações tech, mas não a todas, especialmente porque as ações de tecnologia americanas estão caras em termos de múltiplos na comparação com pares globais, o que é um sinal para a venda.

LEIA +
A corrida de Samsung e Apple para mapear o corpo humano com celulares e anéis

No geral, as gigantes tech mantêm a liderança de impulso de lucros no S&P 500, escreveram. “O grupo precisa manter esse impulso para ter um desempenho superior novamente em 2024.”

PUBLICIDADE

A última temporada de balanços foi mista. Meta e Amazon divulgaram lucros trimestrais e perspectivas que superaram em muito as expectativas de Wall Street. A Microsoft teve seu maior crescimento de receita desde 2022.

A Apple voltou a ter crescimento de receita, mas a demanda na China foi mais fraca do que se temia, o que impactou investidores. O desempenho recente da Tesla levou alguns a questionar se ela consegue se manter no grupo, em meio a alertas sobre a queda de demanda por veículos elétricos e o impacto de cortes de preços. A Nvidia só divulgará resultados no dia 21 de fevereiro.

Os estrategistas quantitativos do JPMorgan (JPM) alertaram na semana passada para semelhanças com a bolha pontocom e que a probabilidade de o índice mais amplo ter um desempenho superior ao das dez principais ações em um futuro próximo é cada vez maior.

Mas Michael Wilson, estrategista-chefe do Morgan Stanley (MS), destacou Apple, Microsoft, Alphabet e Nvidia entre ações de crescimento de alta qualidade. Ele disse que essas ações podem continuar a apresentar desempenho superior em meio a fortes revisões de lucros para as empresas do S&P 500.

“O grupo pode ter desempenho superior em todos os três cenários macro que traçamos para 2024″, escreveu Wilson.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE

Microsoft alcança US$ 3 trilhões em valor de mercado pela primeira vez

Lucro de big techs deve destoar de novo da economia ‘normal’, segundo analistas

Este estrategista alertou para a ‘bolha de IA’. E diz que elas voltaram ao foco