Ibovespa recua com Wall Street após Powell e dólar vai a R$ 5

Principal índice de ações da bolsa brasileira virou para queda nesta segunda-feira (5); balanços de bancos e falas de membros do Fed estão no radar

Ibovespa recua com Wall Street após Powell e dólar vai a R$ 5
05 de Fevereiro, 2024 | 11:02 AM

Bloomberg Línea — O Ibovespa (IBOV) apagou os ganhos vistos pela manhã e recuava nesta segunda-feira (5), em linha com as bolsas em Wall Street. O sentimento é de cautela depois que o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, voltou a descartar um corte de juros em março.

Em entrevista à CBS, que foi ao ar no domingo (4), Powell afirmou que os americanos podem ter que esperar por uma redução de juros além da próxima reunião do Fed. A chance de um corte de 0,25 ponto percentual em março sinalizada pelos juros futuros chegou a cair para perto de 15% depois das falas.

As falas levaram a ganhos nas taxas dos Treasuries americanos. Os títulos do Tesouro americano de curto prazo foram os mais impactados. O yield da nota de dois anos, que saltou 0,16 ponto percentual na sexta-feira (2), chegou a subir mais 0,10 ponto percentual nesta segunda (5), para 4,46%, o nível mais alto em um mês.

LEIA +
Arezzo e Grupo Soma chegam a acordo para fusão que cria varejista de R$ 13 bi

Na cena doméstica, a conta corrente do Brasil apresentou déficit de US$ 5,8 bilhões em dezembro, ante estimativa de US$ 7,28 bilhões e acima do resultado negativo anterior, revisado para US$ 1,86 bilhão, segundo o Banco Central.

PUBLICIDADE

O investimento estrangeiro direto, por sua vez, ficou negativo em US$ 389 milhões, ante estimativa de saldo positivo de US$ 5,54 bilhões.

Por volta das 14h20 (horário de Brasília), o principal índice da bolsa de valores brasileira recuava 0,19% aos 126.938 pontos. O dólar, por sua vez, era negociado a R$ 5,00, com alta de 0,60% no mesmo horário.

Na semana, investidores ficarão de olho na divulgação da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) na terça-feira (6), bem como nos dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de janeiro, que saem na quinta (8).

PUBLICIDADE

A safra de balanços corporativos também é destaque, em especial os resultados de grandes bancos.

Nos EUA, a agenda será mais fraca nesta semana, mas falas de autoridades do banco central americano poderão continuar trazendo volatilidae depois dos dados de emprego muito acima do esperado em janeiro.

Desempenho

No pregão da última sexta-feira (2), o Ibovespa fechou no vermelho, com queda de 1,01%, aos 127.182 pontos. O volume das negociações ficou em R$ 1.098.281.000.

As ações com as maiores altas foram: Azul (AZUL4), com +3,62%; Gerdau (GGBR4), com +2,38%; Metalúrgica Gerdau (GOAU4), com +1,52%.

As de maior queda foram: Magazine Luiza (MGLU3), com -4,37%; Petroreconcavo (RECV3), com -4,77%; Grupo Casas Bahia (BHIA3), com -6,01%.

No ano, o Ibovespa acumulava queda de 5,22% até o pregão anterior.

-- Matéria atualizada às 14h25 (horário de Brasília)

PUBLICIDADE

-- Conteúdo elaborado com auxílio de dados automatizados da Bloomberg.

Leia também:

Pacaembu é um ativo imobiliário que vai muito além do futebol, diz CEO

BTG Pactual tem lucro recorde de R$ 10 bi em ano desafiador no mercado de capitais

Mariana d'Ávila

Editora assistente na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero, especializada em investimentos e finanças pessoais e com passagem pela redação do InfoMoney.