BTG Pactual tem lucro recorde de R$ 10 bi em ano desafiador no mercado de capitais

Maior banco de investimentos da América Latina apresentou também receitas recordes de R$ 21,6 bilhões em 2023; rentabilidade fechou o ano cheio em 22,7% e lucro líquido ajustado subiu 25%

Sede do BTG Pactual, em São Paulo
05 de Fevereiro, 2024 | 09:20 AM

Bloomberg Línea — O BTG Pactual (BPAC11) reportou, nesta segunda-feira (5) pela manhã, um lucro líquido ajustado de R$ 10,4 bilhões e receitas totais de R$ 21,6 bilhões em 2023, resultados recordes e 25% maiores em relação ao ano anterior. A rentabilidade medida pelo ROAE (retorno ajustado sobre o patrimônio líquido) atingiu 22,7%.

“Em um ano desafiador nos mercados de crédito e capitais, fomos capazes de entregar uma performance recorde, com expansão significativa das nossas franquias de clientes. Seguimos obtendo alavancagem operacional em nossa plataforma, ao mesmo tempo que fortalecemos nossa cultura centrada no cliente”, disse Roberto Sallouti, CEO do BTG Pactual, em comunicado.

O ano passado foi marcado pela sequência de recuperações judiciais de grandes empresas, de Americanas a Light, o que impactou os mercados de crédito e de capitais nos primeiros meses. E só engrenou de verdade no segundo semestre e nas frentes de emissão de dívida e na assessoria financeira a M&As.

Em 2023, o BTG captou R$ 205 bilhões, somando R$ 1,6 trilhão em recursos de clientes sob gestão e administração. No quarto trimestre, a captação líquida (NNM) totalizou R$ 41 bilhões. Isso garantiu crescimento de 56% nas receitas totais (R$ 5,7 bilhões), entre outubro e dezembro, na comparação anual.

PUBLICIDADE

O lucro líquido ajustado do BTG fechou o trimestre em R$ 2,8 bilhões, alta anual de 61%, acima da projeções (R$ 2,7 bilhões).

Desempenho por áreas

A instituição financeira destacou crescimento nas principais linhas de negócios no ano. A área de Investment Banking manteve sua posição de liderança nos rankings da indústria e, mesmo com o mercado de capitais, particularmente na área de ofertas de ações, mais restrito, principalmente, no primeiro semestre, fechou 2023 com R$ 1,6 bilhão em receitas, sendo R$ 463 milhões no quarto trimestre.

Por sua vez, a área de Corporate & SME Lending teve receita recorde (R$ 5,1 bilhões) em 2023, com avanço de 88% na comparação anual. No quarto trimestre, a receita somou R$ 1,4 bilhão. O portfólio de crédito totalizou R$ 171,6 bilhões no ano, alta de 19%.

PUBLICIDADE

Já a área de Sales & Trading registrou o melhor resultado da história, com forte contribuição das franquias de clientes, segundo o banco. A receita total foi de R$ 6,2 bilhões em 2023, crescimento de 17%. No trimestre, a o crescimento foi de 24% na base anual, atingindo R$ 1,4 bilhão.

Asset Management contabilizou R$ 509 milhões (+9%) no trimestre e R$ 1,85 bilhão (+18%) no ano, também resultados recordes, na comparação anual. O resultado foi impactado positivamente pelo aumento dos ativos sob gestão e administração, que totalizaram R$ 856 bilhões em 2023, crescimento de 21%.

Leia também

Arezzo e Grupo Soma chegam a acordo para fusão que cria varejista de R$ 13 bi

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.