Bradesco cai 15,9% após balanço e Ibovespa fecha em queda, na contramão de NY

Resultado aquém do esperado provocou fortes perdas para os papéis do banco, se refletindo também nas ações de Itaú, Santander e Banco do Brasil; Vale e Petrobras sobem

After Hours
07 de Fevereiro, 2024 | 06:44 PM

Bloomberg Línea — O Ibovespa (IBOV) fechou em queda de 0,36%, aos 129.950 pontos, nesta quarta-feira (7), em um dia marcado pelas fortes perdas do Bradesco (BBDC4), depois da divulgação de um resultado trimestral que ficou abaixo do esperado e decepcionou investidores. O dólar (USDBRL) subiu 0,11%, a R$ 4,97, ao final do pregão.

As ações do Bradesco caíram 15,90%, a R$ 13,96, depois de uma sequência de altas nos últimos dias.

O recuo afetou o desempenho dos papéis dos demais bancos como Itaú Unibanco (ITUB4), Banco do Brasil (BBAS3) e Santander Brasil (SANB11), que caíram 0,72%, 0,27% e 2,35%, respectivamente. Na contramão, os papéis do BTG Pactual (BPAC11) subiram 2,21%.

LEIA +
Bradesco terá evolução gradual, sem apostar em ‘bala de prata’, diz novo CEO

Os números do quarto trimestre, divulgados nesta manhã pelo Bradesco, ficaram aquém do consenso de analistas ouvidos pela Bloomberg em indicadores como lucro líquido recorrente (R$ 2,878 bilhões vs. consenso de R$ 4,63 bilhões) e receitas com prestação de serviços (R$ 9,028 vs. consenso de R$ 9,34 bilhões).

PUBLICIDADE

No ano completo de 2023, o lucro líquido recorrente ficou em R$ 16,3 bilhões, com queda de 21,2% na comparação com 2022, segundo o banco, “impactado pelas despesas com PDD [provisões] e contração da margem financeira bruta”.

“Não é o resultado [do quarto trimestre] que queríamos entregar, mas essa mudança não acontece de uma vez em só um trimestre. A mudança ocorre paulatinamente”, disse o CEO do Bradesco, Marcelo Noronha, em conversa com jornalistas para apresentar um novo plano estratégico

O objetivo é reverter a trajetória de deterioração de seus indicadores financeiros e se reforçar na disputa pelo cliente em um dos mercados mais competitivos da economia.

PUBLICIDADE

“Queremos entregar resultados melhores a cada trimestre, incluindo mais rentabilidade e retorno”, disse ele. “Não vamos reinventar a roda. Não tem bala de prata”, completou.

O Bradesco liderou as ações com maiores perdas do índice, seguido de Hapvida (HAPV3) e Grupo Pão de Açúcar (PCAR3).

A Cielo (CIEL3) também caiu depois que o Citi rebaixou a recomendação dos papéis de compra para neutro depois de uma valorização nos últimos dias na esteira do anúncio de que o Bradesco e o Banco do Brasil pretendem fazer uma oferta pública de aquisição (OPA) para fechar o capital da adquirente.

Fora do setor bancário, as ações da Petrobras (PETR3; PETR4) e da Vale (VALE3) subiram e ajudaram a compensar parte das perdas do Ibovespa.

Entre as maiores altas, o destaque foi a Petz (PETZ3) que subiu teve forte alta nesta quarta. Casa Bahia (BHIA3), LWSA (LWSA3) - antiga Locaweb -, Carrefour Brasil (CRFB3) e Rumo (RAIL3) também subiram e ficaram entre os maiores ganhos do dia.

No ano, o Ibovespa acumula queda de 3,16% até o pregão de hoje.

Estados Unidos

Já nos Estados Unidos, os principais índices de ações subiram, com o S&P 500 chegando perto de atingir a marca histórica de 5.000 pontos.

PUBLICIDADE

Os ganhos foram impulsionados por grandes empresas de tecnologia e uma forte venda de títulos do Tesouro de 10 anos que diminuiu as preocupações com a oferta de papéis.

Enquanto os rendimentos dos títulos mal se moveram, as ações estenderam a alta com perspectivas de que uma economia sólida continuará impulsionando os lucros corporativos.

Os investidores ignoraram preocupações sobre avaliações elevadas, a sazonalidade fraca de fevereiro e comentários cautelosos de funcionários do Federal Reserve.

Também no radar de Wall Street estava uma série de discursos de bancos centrais — todos mostrando que não há pressa para cortar as taxas, conforme já sinalizado pelo presidente do Fed, Jerome Powell.

PUBLICIDADE

A diretora Adriana Kugler apresentou uma visão otimista para uma desaceleração contínua da inflação, indicando pouca urgência em reduzir os custos de empréstimos.

A presidente do Fed de Boston, Susan Collins, disse que procura mais evidências de que a inflação está alinhada com a meta antes de iniciar cortes nas taxas — embora esse passo provavelmente seja “mais tarde neste ano”.

Enquanto o presidente do Fed de Minneapolis, Neel Kashkari, disse à CNBC que os funcionários precisam ver “mais alguns meses” de dados de inflação antes de flexibilizar a política monetária.

O crescimento econômico resiliente nos EUA e uma recuperação na Europa irão sustentar as ações — mesmo enquanto algumas partes do mercado de ações parecem “inflacionadas”, segundo estrategistas do Barclays liderados por Emmanuel Cau.

PUBLICIDADE

Os papéis de maior valorização do Ibovespa foram:

Já os de pior desempenho foram:

PUBLICIDADE
  • Azul (AZUL4) com -2,91%
  • Hapvida (HAPV3) com -4,19%
  • Bradesco (BBDC3) com -13,02%

As ações mais negociadas foram:

  • Bradesco (BBDC4) com R$ 341.120.300.
  • Hapvida (HAPV3) com R$ 177.729.800.
  • Magazine Luiza (MGLU3) com R$ 119.827.500.

- Com colaboração de Marcelo Sakate. Conteúdo elaborado com auxílio de dados automatizados da Bloomberg.

Leia também

PUBLICIDADE

Empresas e bancos mudam planos de captação com restrição do CMN a títulos isentos

As ações mais recomendadas para fevereiro, segundo 14 bancos e corretoras

Petrobras enfrenta desafio de recompor reservas a longo prazo

Filipe Serrano

É editor da Bloomberg Línea Brasil e jornalista especializado na cobertura de macroeconomia, negócios, internacional e tecnologia. Foi editor de economia no jornal O Estado de S. Paulo, e editor na Exame e na revista INFO, da Editora Abril. Tem pós-graduação em Relações Internacionais pela FGV-SP, e graduação em Jornalismo pela PUC-SP.