As ações mais recomendadas em abril

Também no Breakfast: Enauta propõe fusão com 3R em negócio de R$ 16 bi | Incertezas no Congresso afetam indústria de energia eólica | Como Shein e Temu ganharam relevância no setor de petróleo

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — Este é o Breakfast - o seu primeiro gole de notícias. Uma seleção da Bloomberg Línea com os temas de destaque no mundo dos negócios e das finanças. Bom dia!

Com investidores estrangeiros sob influência da mudança na perspectiva para o início do corte de juros nos Estados Unidos e domésticos atentos às incertezas fiscais no Brasil e de ingerência do governo na gestão de empresas como a Petrobras, o Ibovespa decepcionou no primeiro trimestre e encerrou o período com queda de 4,84%, na contramão de ganhos na casa de 10% do S&P 500 e da Nasdaq.

Diante desse cenário, analistas têm se dividido entre uma postura mais cautelosa com papéis ligados à economia doméstica, devido a preocupações com o crescimento e o quadro fiscal, e apostas otimistas diante do potencial das ações brasileiras em um cenário de queda dos juros no Brasil e nos EUA.

Levantamento da Bloomberg Línea com 11 bancos e corretoras revela uma preferência no portfólio por blue chips, caso de Itaú Unibanco, Vale e Petrobras, a despeito dos riscos políticos.

PUBLICIDADE

Já os ativos de BTG Pactual, PetroRio, WEG e Direcional voltam a compor a seleção para o mês de abril – cada uma com quatro menções de analistas.

Leia mais: As ações mais recomendadas para abril, segundo 11 bancos e corretoras

Fabricante de motores elétricos WEG, de Jaraguá do Sul, em Santa Catarinadfd

No radar dos mercados

Os rendimentos dos títulos globais caem nesta terça-feira (2), acompanhando o selloff do dia anterior nos Treasuries, à medida que os traders precificam a possibilidade de menos cortes nas taxas de juros este ano pelo Federal Reserve.

🛢️ Petróleo em alta. Os futuros do petróleo bruto nos EUA atingiram US$ 85 por barril em Nova York pela primeira vez desde outubro, à medida que os cortes na oferta da Opep+ sustentam um mercado cada vez mais fortalecido.

📉 Bitcoin volta a cair. O bitcoin amplia sua queda nesta terça diante de uma redução da demanda por ETFs de cripto nos EUA e do enfraquecimento das apostas em uma política monetária mais flexível do Fed.

📦 Demissões no Citi. O Citigroup implementou uma nova rodada de demissões na área de investment banking nos EUA na semana passada à medida que o gigante financeiro concluiu uma reestruturação. Tecnologia, mídia e telecomunicações ficaram entre as áreas mais afetadas.

Leia a matéria completa sobre o que está guiando os mercados hoje

Breakfast 2/4/24dfd
🔘 As bolsas ontem (01/04): Dow Jones Industrials (-0,60%), S&P 500 (-0,20%), Nasdaq Composite (+0,11%), Stoxx 600 (+0,18%), Ibovespa (-0,87%)

LEIA + Siga a trilha dos mercados para conhecer as variáveis que orientaram os investidores →

🗓️ Agenda: Os eventos e indicadores em destaque hoje e na semana →

Destaques da Bloomberg Línea:

Enauta propõe fusão com 3R em negócio que une empresas de R$ 16 bi em valor

Adeus, Califórnia. Como Elon Musk se tornou um motor para a economia do Texas

Emenda pró-carvão no Congresso atrasa a chegada de eólicas offshore no Brasil

E mais na versão e-mail do Breakfast:

• Também é importante: XP contrata ex-executivo do Citi para liderar área de private banking | Milei agora diz que descarta dolarização antes de eleição legislativa de 2025

• Opinião Bloomberg: Como Shein e Temu se tornaram um grande impulso ao setor de petróleo

• Para não ficar de fora: Mahomes e Kelce, da NFL, fazem campanha por subsídio de US$ 2 bi em Kansas City

Essa foi uma amostra de Breakfast, a newsletter matinal da Bloomberg Línea com as notícias de destaque no Brasil e no mundo.

Para receber a íntegra da newsletter na sua caixa de email, registre-se gratuitamente no nosso site.

Por hoje é só. Bom dia!

Obrigado por ler nossa newsletter matinal.

Equipe Breakfast: Marcelo Sakate (Editor-chefe, Brasil), Filipe Serrano (Editor, Brasil) e Mariana d’Ávila (Editora Assistente, Brasil)