Mercados

Petróleo sobe com sinais de oferta apertada nos EUA, apesar de temores de recessão

Traders aguardam nova reunião do banco central americano, o Federal Reserve, que deve elevar novamente as taxas dos EUA

O WTI para entrega em setembro subia 2% para US$ 98,59 o barril às 7h52, horário de Brasília
Por Alex Longley
26 de Julho, 2022 | 07:54 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Os preços do petróleo avançavam para uma segunda sessão de altas com sinais de um mercado físico mais apertado compensando as preocupações sobre uma desaceleração econômica.

Os futuros do West Texas Intermediate (WTI) subiam acima de US$ 98 o barril em meio a uma alta mais ampla das commodities, depois de um avanço de 2,1% na segunda-feira (25). Os futuros do petróleo estão agitados este mês, flutuando em uma faixa de cerca de US$ 15 desde 5 de julho.

Os spreads de tempo indicam uma oferta escassa, e o Morgan Stanley (MS) disse que o mercado continua apertado. Ainda assim, o banco de investimento reduziu suas previsões de preço do petróleo este ano e em 2023, citando projeções de demanda reduzida.

“Existem claros problemas de oferta que o mercado enfrenta, o que manterá o equilíbrio do petróleo apertado pelo restante do ano”, disse Warren Patterson, chefe de estratégia de commodities da ING Groep em Singapura. Os investidores estão “lidando com muita incerteza e tentando encontrar uma direção”, disse.

PUBLICIDADE

Recentemente, o petróleo foi dominado por crises de volatilidade em meio à baixa liquidez, à medida que os investidores manipulam as perspectivas concorrentes de oferta e demanda. Em 78 dias de negociação desde o início de abril, os volumes do WTI ficaram acima da média de 200 dias apenas em seis ocasiões, ressaltando a relativa falta de atividade no mercado.

Espera-se que o Federal Reserve aprove outro grande aumento da taxa de juros na quarta-feira para combater o aumento da inflação, elevando os temores de que os EUA estejam caminhando para uma recessão.

O WTI ainda está em alta de quase 30% este ano, em parte devido ao aumento dos fluxos comerciais da Rússia. A diferença entre o benchmark dos EUA e o Brent aumentou para quase US$ 9 o barril, indicando que o aperto na oferta é mais pronunciado na Europa do que nos EUA. A demanda americana por gasolina também diminuiu.

Preços do petróleo

  • O WTI para entrega em setembro subia 2% para US$ 98,59 o barril às 7h52, horário de Brasília
  • O Brent para liquidação em setembro avançava 1,6%, para US$ 106,86 o barril

O mercado apertado pode obter algum alívio com a recuperação da produção líbia, mas a contribuição do país provavelmente será volátil, devido ao potencial de conflito e agitação para aumentar rapidamente. A oferta do produtor da OPEP voltou a subir acima de 1 milhão de barris por dia.

PUBLICIDADE

O mercado está fortemente atrasado, um padrão de alta marcado por preços de curto prazo comandando um prêmio em relação aos de datas posteriores. O spread imediato do Brent foi de US$ 4,96 por barril em retrocesso, em comparação com US$ 3,83 no início de julho.

--Com a colaboração de Nicholas Lua

Leia também

Startup Casai fica sem dinheiro, demite e negocia fusão com a Nomah, da Loft

PUBLICIDADE