Brasil

Bruno Serra, do Banco Central: BC prefere manter Selic o mais estável possível

Os formuladores de políticas entendem que a estabilidade fiscal nem sempre é possível, disse Serra

Os formuladores de políticas sinalizarão planos para outro pequeno aumento na próxima reunião de definição de impostos em junho.
Por Maria Eloisa Capuro
16 de Maio, 2022 | 03:59 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O Banco Central prefere manter a taxa básica de juros, a Selic, mais estável possível, disse Bruno Serra, o diretor de política de BC em um evento nesta segunda-feira (16), levando os investidores a reduzirem as apostas em novos aumentos nos custos de empréstimos para curto prazo.

Os formuladores de políticas entendem que a estabilidade fiscal nem sempre é possível, disse Serra. O Brasil elevou o custo dos empréstimos mais rapidamente do que outras países, e o ciclo agressivo de abertura pesará sobre a inflação no segundo semestre deste ano, disse ele.

Desde março de 2021, o BC elevou a Selic em 10,75 pontos percentuais na tentativa de conter a inflação impulsionada pelo crescimento da cadeia produtiva global e pelo aumento do custo de alimentos e bebidas. Os formuladores de políticas sinalizarão planos para outro pequeno aumento na próxima reunião de definição de impostos em junho.

O BC fará o que for preciso para lidar com a inflação acima da meta, disse Serra, acrescentando que os formuladores de políticas perseguirão as metas de inflação.

PUBLICIDADE

--Com a colaboração de Isadora Calumby, Patricia Xavier e Josue Leonel.

Leia também

50 ações e fundos favoritos dos investidores de alta renda em abril

PUBLICIDADE